Pesquise aqui o assunto que você procura:

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Se regras do impeachment forem alteradas, STF deve desculpas a Collor, afirma Miro Teixeira

O deputado representou a Câmara na sessão. O Congresso defende que Dilma Rousseff seja afastada do cargo assim que houver decisão da Câmara dos Deputados.



8 comentários:

  1. I Congresso Nacional vem dando mostras que realmente ambas as casas do legislativo são ilustrativas no cenário nacional e quanto seus integrantes são omissos ou corruptos .Há anos o governo emite emendas. decretos e MPs que por lei constitucional deveriam passar pelo crivo de deputados e senadores e as mesmas entram vigor sem que isto passe pelo congresso (vejam empréstimos secretos para países estrangeiros).sendo que, nenhuma das casas tenham denunciado ou reagido contra estes desmandos . Agora que outros órgãos levantam questões contra o governo o STF estabelece regras que blindam o executivo e o encaminho para o seguro e confortável abraço dos aliados e cumplices nas manobras inconstitucionais ...
    Tudo dominado Mesquita ...

    ResponderExcluir
  2. Tudo ante patriotas , covardes
    tudo farinha do mesmo saco !!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aí está. Bactérias e ácaros fazem e celebram PTralhas quanto podem...
      O Google não me deixa postar imagens. Caralho. Que desgraceira sobre o Brasil oriunda da má fé do Lulau diante a vida. Porcos Toscos.
      Nossa meta. A Dilma será a primeira. Depois dobramos a meta e extinguimos o Lula e o PT

      Excluir
  3. Vamos falar a verdade?

    Na data de 16/12/2015 o Supremo Tribunal Federal fez o óbvio:

    "Determinou a plena a plenitude é validade das regras estabelecidas em 1992, sob a presidência do ministro Sidney Sanches, que nortearam o processo de impeachment de Fernando Collor".

    A maioria vencedora foi construída com o sólido conhecimento jurídico do ministro Barroso e com apoio decisivo do ministro Celso Melo, decano, nomeado no governo Sarney e do ministro Marco Aurélio, nomeado no governo Collor.

    Dois ministros nomeados durante governos do PT (Fachim e Toffolli) foram votos vencidos junto com o ministro Gilmar Mendes, nomeado no governo FHC.

    Ou seja nada foi alterado em relação ao processo de impeachment que levou a renúncia do ex-Presidente Fernando Collor.

    Em síntese:

    1) A Comissão Especial que irá analisar o impedimento deve ser eleita, por votação aberta;

    2) .Os integrantes da Comissão serão indicados pelas lideranças partidárias;

    3) O Senado tem competência para aceitar ou arquivar o impedimento;

    a) No caso de aceitação, imediatamente o Presidente do STF assume a presidência do Senado para as providências e ritos do processo de impeachment;
    b) No caso de arquivamento, decidido pela maioria simples do Senado (metade mais um dos senadores presentes) comunica-se a Mesa da Câmara;

    4). O afastamento, por até 180 dias, da presidente ocorre após aprovação da instauração pelo Senado;

    5) É preciso o voto de 2/3 dos senadores para aprovar o impeachment.

    ResponderExcluir
  4. https://www.facebook.com/MovimentoContraCorrupcao/photos/a.257980104314265.49913.254329351346007/849975221781414/?type=3&theater

    ResponderExcluir
  5. Tenho pena do povo que na Santa ingenuidade colocou esse bando de larápios para governar esse país tão lindo e tão destruído por co ta desses congressistas ladrões

    ResponderExcluir
  6. Tenho pena do povo que na Santa ingenuidade colocou esse bando de larápios para governar esse país tão lindo e tão destruído por co ta desses congressistas ladrões

    ResponderExcluir

O que você achou disso? Comente: