Pesquise aqui o assunto que você procura:

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Decisão de juiz do Piauí pode tirar o WhatsApp do ar no Brasil

Processo corre em segredo de justiça e não há informações do bloqueio do app

Whatsapp pode ser bloqueado tem todo o Brasil
A decisão de um juiz do Piauí pode tirar o aplicativo de mensagens WhatsApp do ar em todo o Brasil. A decisão expedida pelo juiz da Central de Inquéritos da Comarca de Teresina (PI) Luís Moura Correia determina que a empresa Vivo suspenda o acesso ao serviço.

Trechos da decisão, divulgados na internet, ordenam que a Vivo suspenda temporariamente o acesso ao serviço por meio dos endereços whatsapp.net, whatsapp.com e também todos os subdomínios. Ainda não há informações sobre o bloqueio do aplicativo via smartphone.

A decisão indica que a Vivo tem um prazo de 24 horas após o recebimento da notificação para retirar o acesso ao WhatsApp. Por conta do segredo de Justiça, não há informações sobre o motivo que teria levado o juiz a decretar o bloqueio do WhatsApp. As empresas podem recorrer da decisão antes de serem obrigadas a cumpri-la.

A decisão judicial foi enviada para a Vivo pelo delegado do Núcleo de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública do Piauí, Éverton Ferreira de Almeida Férrer. As informações foram confirmadas pela reportagem da TV Antena 10, afiliada da Rede Record no Piauí. A reportagem do R7 entrou em contato com a comunicação do Tribunal de Justiça do Piauí e também com as empresas citadas, mas não obteve retorno até o fechamento desta matéria.


Câmara reajusta benefícios e aprova passagens para mulher de deputado

Reajuste inclui verba de gabinete, auxílio-moradia e gastos com passagens. Segundo Cunha, impacto é nulo porque haverá cortes em outras áreas.


O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), autorizou nesta quarta-feira (25) aumento em todas as despesas com parlamentares, incluindo verba de gabinete - usada para pagar funcionários -, auxílio-moradia e cota parlamentar, que inclui gastos com passagens aéreas e conta telefônica. Além do reajuste dos benefícios, esposas de deputados passarão a ter o direito de utilizar a cota de passagens aéreas dos deputados, desde que seja exclusivamente entre Brasília e o estado de origem.

Como o reajuste será a partir de abril, neste ano representará impacto de cerca de R$ 110 milhões. No entanto, a partir de 2015, a despesa extra será da ordem de R$ 146,5 milhões por ano.

Cunha explicou que se trata de um reajuste inflacionário, mas que serão feitos cortes na mesma proporção para que o impacto seja “zero” nos cofres da Casa. “Aceitamos a correção da inflação mediante o corte de gastos. O efeito será nulo, zero de despesa”, afirmou. Segundo o presidente da Casa, os cortes serão feitos em atividades-meio, como contratos de informática e compra de equipamentos. “Faremos no tamanho da correção”, explicou.

"Não vai haver economia de nada nem aumento de nada. Será o mesmo Orçamento com a mesma despesa total", completou. "Estou fazendo apenas a correção inflacionária. Ninguém está dando aumento. Não estou aumentando verba, mas corrigindo pela inflação a verba, que é o salário dos funcionários dos gabinetes."

A verba de gabinete, usada para pagar funcionários, foi reajustada em 18,01% com base no IPCA desde julho de 2012, e passará de R$ 78 mil por mês para R$ 92 mil. Cada parlamentar pode contratar até 25 pessoas. O impacto anual será de R$ 129 milhões.

A cota parlamentar destinada, entre outros gastos, para o custeio de passagens aéreas e transporte, será reajustada em 8%, o que representará um impacto adicional de 16,6 milhões por ano. O valor da cota varia conforme o estado de origem do deputado. O maior valor é pago a deputados de Roraima, hoje em R$ 41 mil por mês. O menor valor é dado a deputados do Distrito Federal, cerca de R$ 27 mil. O dinheiro também é usado para despesas com telefone e correio.

Também foi autorizado que a verba seja usada para comprar passagem aérea para cônjuges, atendendo à reivindicação de mulheres de parlamentares. O recurso só poderá ser usado quando o itinerário for entre Brasília e o estado de origem. A Direção-Geral da Câmara informou que o critério para liberar a passagem para o cônjuge será a comprovação do casamento ou de união estável reconhecida em cartório.

“Não é acréscimo da cota. É o valor exato da cota podendo utilizar o cônjuge de cada parlamentar única e exclusivamente no destino estado-Brasília, nada mais do que isso”, afirmou Cunha.

A norma na Câmara determinando que apenas deputados teriam direto a passagens foi implantada em 2009, após virem à tona diversos casos de uso indevido da verba, o que ficou conhecido como o escândalo da farra das passagens. Na época, a regulamentação era superficial e diversos deputados pagaram passagem para parentes e amigos, incluindo viagens de lazer.

Após a restrição, a única exceção era liberada para assessores previamente cadastrados e em viagens justificadas. Durante a campanha à presidência da Câmara, Cunha se reuniu com um grupo de mulheres de parlamentares, em um chá oferecido por uma delas, que fizeram um apelo para a volta da liberação das passagens.

Além disso, a partir de abril, o auxílio-moradia passará de R$ 3.800 para R$ 4.243 por mês. Por ano, o impacto extra será de R$ 885 mil.

Reajustes unificados

Segundo Eduardo Cunha, as despesas da Casa passarão a ser reajustadas pelo IPCA e sempre na mesma época. Até então, eram usados índices diferentes e em datas diversas.

“Vai ter a partir de agora uma única correção. Ou seja, nós fizemos a correção da inflação de todos os itens de despesa para ter uma unificação, porque eles têm períodos de reajuste diferenciados. Trouxemos pelo IPCA todos unificados para janeiro de 2015 e com a contrapartida do corte de gastos para não haver qualquer aumento de despesa”, explicou Cunha.

Secretaria de Comunicação

O reajuste nas despesas foi tratado em uma reunião da Mesa Diretora, que autorizou ainda a criação de uma Secretaria de Comunicação Social, a quem caberá coordenar os veículos de comunicação da Casa, incluindo a TV. Segundo Cunha, a orientação é para que a cobertura fique restrita exclusivamente à divulgação do trabalho dos deputados, inclusive nos estados.

“Ela tem que cobrir a atividade parlamentar, ela não tem que competir com TV aberta, não tem que ter programa de chorinho”, disse. A medida enfrenta resistência de servidores da Casa, receosos de haver interferência na imparcialidade da cobertura. Cunha negou, porém, que o objetivo seja monitorar o conteúdo.

“[A secretaria] Não tem o objetivo de comandar ou monitorar a pauta de quem quer que seja da divulgação da Casa, mas garantir que os veículos de comunicação da Casa divulguem o trabalho da Casa”, afirmou.

Ainda não foi definido o nome do deputado que ficará à frente da secretaria. O presidente da Câmara anunciou ainda que será criado um conselho consultivo, vinculado à Mesa Diretora, para tratar da política de comunicação.

Benefícios

Além da remuneração mensal bruta, hoje fixada em R$ 33.763,00, os deputados federais têm benefícios que vão desde o suporte para a instalação em Brasília no início do mandato até o reembolso para despesas com saúde em atendimentos fora do departamento médico da Casa.

Veja a lista de direitos e benefícios:

- Duas ajudas de custo por mandato (uma no início do mandato e outra no final), no mesmo valor do salário, para compensar as despesas com mudança e transporte.

- Auxílio-moradia, que passará de R$ 3.800 para R$ 4.243 por mês em abril, ou uso de apartamento funcional.

- Atendimento médico e odontológico (no próprio departamento médico da Câmara). Também há reembolso para despesas com saúde foram do departamento médico da Casa. Os gastos com despesas médicas dos deputados em 2013 somaram R$ 3.483.876,89. Em 2014, representaram R$ 2.940.679,34. O atendimento no departamento médico da Câmara é vitalício. Deputados em exercício e seus familiares que podem ser incluídos como dependentes no Imposto de Renda têm direito de utilizar o departamento médico da Casa.

- Para o exercício das atividades do mandato, os deputados também recebem a cota parlamentar, que varia de 27.977,66 a 41.612,80. Este benefício inclui, entre outras despesas, gastos com escritório fora da Câmara, combustível, serviços postais, fornecimento de alimentação ao deputado, aluguel de aeronave, serviços de segurança, de consultoria e de divulgação das atividades parlamentares.

(Fonte: G1)




quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Pernambuco é vice-líder em mortes por choque elétrico no Nordeste

Estudo da Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade revelou que foram 51 óbitos em 2014, sendo 12 em vias públicas


Para a Celpe, as principais causadas desses acidentes estão relacionadas às intervenções indevidas na rede de elétrica
Com 51 casos contabilizados em 2014, Pernambuco é o segundo estado do Nordeste com maior número de mortes por choque elétrico. O estudo foi divulgado nesta terça-feira (24) pela Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade (Abracopel). Em vias públicas, pelo menos 12 pessoas vieram a óbito, entre elas o menino Ênio Marcondes Ferreira de Brito, 11 anos, que pisou num fio solto de baixa tensão em Pau Amarelo, em Paulista, na Região Metropolitana do Recife. 

Pernambuco só perdeu para a Bahia, que registrou 68 mortes por choque elétrico no ano passado. Para a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe), as principais causadas desses acidentes estão relacionadas às intervenções indevidas na rede de elétrica, como ligações clandestinas e avanço de construções civis irregulares sobre a fiação.

No Brasil, segundo a Abracopel, foram contabilizadas 627 mortes por choque elétrico em 2014. Um aumento de 6% em relação a 2013, quando o país registrou 592 óbitos. Estatisticamente, 8,13% dos casos no ano passado aconteceram em Pernambuco.

"Esse resultado demonstra o descaso das pessoas. Hoje em dia há maior acesso à energia, aos equipamentos eletrônicos. Consequentemente, os riscos acabam aumentando. O grande problema é a falta de conscientização das pessoas por não conhecer os riscos ou por ignorá-los", avaliou o engenheiro Edson Martinho, diretor executivo da Abracopel.

O episódio de morte por choque elétrico que teve maior repercussão em Pernambuco, no ano passado, foi o de Ênio Marcondes. Ele andava pela Rua Irã, no Loteamento Conceição, quando pisou num fio de baixa tensão e sofreu a descarga elétrica. Segundo testemunhas, aquela era a terceira vez que o fio caía na rua e, apesar de ter sido acionada, a Celpe não havia feito o reparo. A criança morreu a caminho de socorro.

Após seis meses de investigações, a Agência Reguladora de Pernambuco (Arpe) decidiu aplicar multa no valor de R$ 173 mil à Celpe. O valor corresponde a 0,0058% do faturamento líquido anual da empresa e será recolhido ao governo federal, como determina resolução normativa da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Prevenção

Segundo a Celpe, como medida preventiva adotada para diminuir o número de acidentes, regularmente são promovidas campanhas educativas em todo o estado, por meio de veículos de comunicação, alertando a população para os riscos de interferir na fiação elétrica.

Em relação às ligações clandestinas de energia, a Companhia informou que foram realizadas aproximadamente 120 mil inspeções e aplicados R$ 65 milhões para coibir a prática ilegal. A previsão, neste ano, é de que sejam realizadas cerca de 125 mil inspeções em toda a área de concessão da empresa.

“A Celpe reforça que apenas profissionais capacitados e, comprovadamente, a serviço da companhia têm autorização para subir em postes e interferir na rede elétrica. A empresa enfatiza que furto de energia é crime previsto no Código Penal Brasileiro”, informou nota oficial. 

Estatísticas de mortes por choque elétrico em 2014


51 casos em Pernambuco
12 em áreas urbanas externas (ruas, praças, quadras)
19 em residências
5 em rede aérea de distribuição
2 em áreas rurais internas (sítios, fazendas)
7 em áreas rurais externas (campo, bomba, poços)
6 mortes foram em outros locais (indústria, comércio etc)

266 casos no Nordeste
Bahia - 68
Pernambuco - 51
Ceará - 35
Alagoas - 28
Piauí - 26
Paraíba - 20
Maranhão - 19
Rio Grande do Norte - 14
Sergipe - 5

627 casos no Brasil

Por região:
42% no Nordeste
20% no Sudeste
19% no Sul
10% no Centro-Oeste
9% no Norte

Por sexo:
560 homens
67 mulheres

6% de aumento em relação a 2013

Dicas de segurança nas ruas


Pipas:
Procure lugares abertos como parques, praias ou campo de futebol para soltar pipas ou jogar bola

Locais de Riscos e Subestações:
Não permita crianças jogando bola ou empinando pipas próximas de locais com existência de alta tensão

Postes e Torres de Energia:
Não suba em postes e em torres de alta tensão. Somente pessoas autorizadas podem realizar qualquer intervenção nas estruturas

Fio Caído no Solo:
Em caso de fio caído não se aproxime. Oriente outras pessoas para manterem distância do local e ligue para Celpe

Ligação Clandestina:
Ligação clandestina ou gambiarras colocam em risco a vida de todos, prejudica o fornecimento de energia e é crime. Denuncie pelo telefone 0800.081.0196

Poda de Árvore:
Em caso de poda de árvore que esteja próxima à rede elétrica chame a Celpe

Dicas de segurança nas residências


Cuidados com o chuveiro elétrico:
Não mude a chave de regulagem da temperatura enquanto toma banho, pois se houver vazamento de corrente elétrica, o risco de choque é grande

Sinal de vazamento de corrente:
Percebendo vazamento de corrente ou defeito nos interruptores, não toque nestes equipamentos. Desligue o disjuntor ou chave geral antes de reparos

Troca de lâmpadas:
Quando for trocar lâmpada à noite, não esqueça de iluminar o local com velas ou lanternas. Segure a lâmpada pelo bulbo (parte de vidro) e nunca pelo soquete (parte metálica)

Secar roupa atrás da geladeira:
Não use a parte de trás da geladeira para secar roupas. Isso sobrecarrega o aparelho, aumenta o consumo de energia e aumenta risco de choque

Fontes: Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade (Abracopel), Celpe

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Protesto de caminhoneiros afeta transporte de carne e leite em SC, diz Faesc

Os protestos de caminhoneiros e transportadores comprometem a circulação de produtos do campo e de remessas de insumo no oeste de Santa Catarina. De acordo com a Federação da Agricultura do Estado (Faesc), pelo menos cinco frigoríficos devem paralisar atividades nesta terça-feira, 24, por conta da situação.

De acordo com o presidente da Faesc, José Zeferino Pedrozo, os motoristas estão impedindo a circulação de caminhões com insumos para a agroindústria. A entidade estima que os bloqueios em rodovias na região afetem o transporte diário de 3 milhões de frangos, 6 milhões de litros de leite e de 20 mil suínos, prejudicando a economia local.

A Faesc alerta que há um grande risco de que a falta de ração no campo comprometa as condições sanitárias de Santa Catarina - único Estado do País declarado área livre de febre aftosa sem vacinação.

Nesta terça-feira, Pedrozo fez um apelo para que os caminhoneiros encerrem as manifestações. Segundo ele, as associações do setor primário apoiam formalmente os protestos, mas a paralisação tem prejudicado diretamente os produtores rurais.


#BOMBA - A DITADURA SAIU DO ARMÁRIO #Venezuela






segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

No Recife, mais de 11 mil pessoas prometem pedir impeachment de Dilma no dia 15



Se depender de confirmar presença em evento de rede social, mais de 11 mil pessoas devem comparecer à Avenida Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, no próximo dia 15 de março, para pedir o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). Normalmente, porém, o número dos que realmente comparecem é inferior ao dos que confirmam participação nas redes sociais.

No Facebook, três eventos convocam uma passeata pela deposição da presidente na capital pernambucana no dia 15, data em que estão sendo marcados atos em todo o País. No maior deles, Impeachment de Dilma – Recife – OFICIAL, 11 mil pessoas prometeram comparecer, 1.100 disseram que talvez irão e outras 143 foram convidadas, mas ainda não se posicionaram.

Na página: IMPEACHMENT DE DILMA ROUSSEFF – Recife/PE, mais 729 pessoas disseram que irão participar. Outras 442 confirmaram presença no evento: IMPEACHMENT DE DILMA – Recife“.

Os três eventos convocam os recifenses descontentes com o governo de Dilma para um ato marcado para começar às 9h na Avenida Boa Viagem, em frente a uma famosa padaria da Zona Sul. Também estão sendo puxados atos nos municípios de Paulista, na Praça Agamenon Magalhães, e de Petrolina, na Praça da Catedral.

Segundo a coluna de Felipe Patury, na revista Época, um levantamento da consultoria Bites mostra que cerca de 1 milhão de pessoas declararam participar de eventos pró-impeachment em todo o País.
 


Grupos de homens usam táticas para passar vírus HIV de propósito

Adeptos compartilham vídeos e fotos com "passo a passo" na internet


Espalhados em sites e blogs pela internet e presentes em saunas e casas de sexo, grupos de homens soropositivos de diversas partes do Brasil têm usado táticas para infectar parceiros sexuais propositalmente. Adeptos da modalidade bareback, na qual gays fazem sexo sem camisinha, eles têm compartilhado dicas de como transmitir o HIV sem que o parceiro perceba. A prática é considerada crime e tem causado preocupação na área da saúde e também no meio LGBT.

Na web e nas baladas, os barebackers formam o "clube do carimbo". Em blogs, compartilham diferentes técnicas para fazer sexo sem proteção ou furar a camisinha. Fotos e vídeos ilustram o "passo a passo".

Há três semanas, uma dessas páginas chamou a atenção e foi compartilhada nas redes sociais. Nas postagens, um aviso de que as férias escolares e o carnaval são os melhores momentos para "carimbar" (ato de transmitir o vírus), principalmente os jovens. "Todo macho recém-convertido ao bare, lá no fundo, quer ser carimbado para ser convertido para o nosso lado, para o bare 'vitaminado'", escreveu o autor. O "vitaminado" é uma clara referência aos portadores do HIV.

Nos textos seguintes, os internautas encontravam dicas de como contaminar os parceiros soronegativos. Após inúmeras denúncias, o site foi retirado do ar.

Outro blog, que pertence a M.M.B., de 26 anos, além das dicas de transmissão proposital, adverte sobre a discrição na hora da transmissão e incentiva o ato.

"Não fez ainda? Faça! Pois é bem provável que já tenham feito com você", afirmou.

Em entrevista ao Estado, o jovem nega que já tenha transmitido DST (doença sexualmente transmissível) propositalmente e alega que publicou as dicas porque seus seguidores gostam do assunto.

Não vou ser hipócrita e dizer que não curto (sexo sem camisinha). Curto, sim, assim como a maioria curte. Nunca faço sexo com camisinha e postei as dicas porque a galera gosta e sente fetiche.

Orgias

Da internet, onde os encontros são marcados, o clube do carimbo parte para a ação em festas sigilosas. Apartamentos em bairros de classe média alta, saunas e boates de sexo gay são usados para a disseminação do vírus. As orgias são chamadas de "conversion parties" ou "roleta-russa". No meio dos convidados, há os "bug chasers" (caçadores de vírus), o soronegativo que prefere sexo sem camisinha, e os "gift givers" (presenteadores do vírus), que são os soropositivos dispostos a contaminar propositalmente ou com consentimento.

R.H., de 36 anos, é empresário e soropositivo há cinco anos. Semanalmente, frequenta clubes de sexo e saunas.

É um prazer incontrolável. Sem a camisinha o meu prazer triplica. Eu odeio camisinha. Ele afirma que não é adepto da transmissão proposital. Só faz sexo sem camisinha quando "é consensual", mas já viu colegas de bareback infectando sem consentimento. É só você ir a qualquer suruba que vê casos de camisinha furada, pessoas estourando sem o outro saber. Considero um esporte do sexo. Eu não pratico, mas sei de muita gente que gosta.

Marcello Sampaio, de 45 anos, é dono de uma casa de sexo há sete meses no Largo do Arouche, centro de São Paulo. Por dia, são mais de cem homens. Logo na entrada, camisinhas estão disponíveis. Apesar dos avisos sobre os riscos, as transgressões acontecem.

Sempre alerto os meus clientes, mas eu não tenho controle e vejo muita gente transando sem camisinha. A minha parte eu faço. Seria muito duro colocar a cabeça no travesseiro sabendo que eu fui o responsável por infectar 20, 30 pessoas por noite.

A preocupação de Sampaio é comprovada pelo Ministério da Saúde. O aumento da infecção é maior entre gays. Para Áurea Abbade, advogada e presidente do Grupo de Apoio à Prevenção à Aids, a geração mais jovem desconhece o perigo da doença.

A gente tenta conscientizar e como resposta recebe risadas. Sinto medo de uma nova epidemia.
(Fonte: R7)


domingo, 22 de fevereiro de 2015

Caminhoneiros fecham rodovias de cinco estados contra aumento do combustível

No Paraná, foram registrados 13 pontos de interdição. Na Fernão Dias, há interdição parcial em Igarapé, na Grande Belo Horizonte.


A BR 101 amanheceu interditada desde as primeiras horas da terça feira (10), nas rodovias de acesso ao Estado do Espírito Santo entre as cidades de Cachoeiro do Itapemirim, Rio Novo, Viana e o manifesto segue para a capital capixaba.

De acordo com Jairo César Almeida, criador da Associação dos Caminhoneiros Profissionais e Avulsos do Espírito Santo, os caminhoneiros estão seguindo o protocolo nacional da categoria para o manifesto do dia 15, que é a mobilização contra os desmandos do Governo Federal.

O movimento foi deflagrado no estado de Mato Grosso e de acordo com a categoria, irá atingir todos os estados brasileiros. Carros de passeio, ambulâncias, caminhões de oxigênio e carga viva estão conseguindo passar pela manifestação. O manifesto é pacífico e é acompanhado de perto pela Polícia Rodoviária Federal.

Ainda de acordo com os caminhoneiros, o aumento de combustível foi o estopim para a manifestação. Outra reivindicação da categoria é sobre os valores do frete, que há 10 anos não sofre reajuste. A categoria ainda lembra o aumento da jornada laboral de trabalho, que antes era de 25 anos e passou a ser 35 anos.

” Não é greve, é apenas uma mobilização, um pedido de basta. Embora não esteja longe de deflagarmos uma greve dos caminhoneiros no Brasil. Não estamos aqui ameaçando o Governo Estadual, nem o Governo Federal, nós queremos apenas sermos vistos e respeitados e sabemos que a verdade não é essa que eles contam, o valor do combustível do jeito que está é inadmissível para o País. Nos temos que acordar, o Brasil está sendo governado para alguns e não para todos. Vamos fazer um movimento pacífico, vamos fazer nossa reforma acontecer”.  Declarou Jairo César.

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Classe C passa a comprar menos e pode até diminuir de tamanho

Grupo reduz consumo pressionado por inflação alta e redução da oferta de crédito

Malabarismo. Alexandre e Silvia concentraram as compras no começo da semana, quando há mais promoções - Michel Filho / Michel Filho

SÃO PAULO - O cenário de inflação alta, crédito escasso e renda comprometida está fazendo a parcela da população brasileira que ascendeu para a classe C comprar menos nos supermercados neste começo de ano do que nos últimos seis meses. E a percepção para o primeiro semestre de 2015 não é nada animadora: o carrinho de compras deve continuar encolhendo. Estes são os primeiros resultados de uma pesquisa inédita, chamada O Bolso do Brasileiro, que o Instituto Data Popular, especializado na classe C, acaba de concluir.

Já segundo a Nielsen, empresa especializada em pesquisar hábitos dos consumidores, diante deste cenário de comprometimento de renda, endividamento e inflação, a classe C é a mais afetada em sua vida financeira, já que apresenta em média um gasto 15% superior à sua renda mensal. Levantamento recente da Kantar Worldpanel, outra companhia especializada em pesquisar as tendências de consumo, mostrou que as classes C e D/E já diminuíram em cerca de oito vezes o número de idas aos pontos de venda, enquanto a classe A diminuiu apenas quatro vezes.

Pela metodologia do Data Popular, as famílias da classe C têm renda média de R$ 2,9 mil e, nos últimos anos, passaram a consumir produtos e serviços antes inacessíveis. O levantamento foi feito entre os dias 18 e 29 de janeiro em 150 cidades do país e foram entrevistadas 3.050 pessoas.

DESCENDO UM DEGRAU

De acordo com a pesquisa, 47% dos entrevistados disseram estar comprando menos produtos no supermercado na comparação com os últimos seis meses. Outros 36% afirmaram que compram a mesma quantidade, e 12% responderam que estão comprando mais produtos. Os pesquisadores perguntaram aos entrevistados se nos próximos seis meses, pensando na condição financeira atual, eles esperavam comprar mais ou menos. Entre as respostas, 45% afirmaram que vão comprar menos; 36% disseram que vão comprar a mesma quantidade e 19% responderam que vão comprar mais.

— O brasileiro da classe C já percebeu que a inflação está comendo sua renda e que está sobrando menos dinheiro para o consumo. Em relação ao futuro, ele mostra desesperança, porque não vê perspectiva de melhora da renda e da situação da economia em geral. Para ele, a inflação deve continuar subindo, assim como os juros do cheque especial utilizado por eles. Ou seja, o brasileiro que já passou aperto em 2014 começa 2015 preocupado em não conseguir encher o carrinho — avalia Renato Meirelles, presidente do instituto de pesquisa Data Popular.

Para o economista Miguel Ribeiro de Oliveira, da Associação Nacional dos Executivos de Finanças (Anefac), o aumento dos impostos e o crédito mais caro e restrito afetam todas as classes, mas especialmente a classe C, que pode até encolher neste ano.

— Quando a situação econômica se torna mais difícil, e a renda disponível fica menor, essas categorias podem até cair um degrau (na ascensão social que tinham experimentado) —afirma Oliveira.

Meirelles, do Data Popular, ainda não vê um retrocesso na ascensão social dessa parcela da população, mesmo com a perda de poder aquisitivo. Ele explica que como o critério para definir classe social é o salário, enquanto o desemprego estiver em níveis baixos, não haverá mudanças.

— Enquanto o desemprego não aumentar, esse brasileiro que ascendeu não vai sair da classe C. Mas seu poder de compra diminui, com o aumento da luz, do aluguel e dos produtos em geral — diz o presidente do Data Popular.

Mas o emprego é exatamente o ponto crucial, destaca o economista Luiz Otávio Leal, do banco ABC Brasil. Na análise de Leal, tão importante quanto a inflação, sobretudo de alimentos e tarifas, o que pesa mais para a classe C, é o impacto do mercado de trabalho, que este ano deve ser marcado por uma queda real na renda:

— Neste ano, as discussões salariais vão se concentrar em repor as perdas, e o trabalhador ficará contente se conseguir manter o emprego.

Outra mudança sutil, esta constatada pela Kantar, é que mais pessoas estão priorizando as compras no início da semana, em detrimento dos finais de semana, para aproveitar as promoções, que se concentram entre segunda e quarta-feira.

Foi o que fez o casal Silvia Santana, de 51 anos, e Alexandre Domingos, de 43, donos de uma empresa de artesanato e costura de São Paulo. Os dois passaram a fazer a despesa do mês durante a semana para aproveitar os descontos. Aos sábados e domingos, só quando falta algum item essencial.

— Na medida do possível, trocamos as marcas mais caras por outras mais baratas. E nossa compra mais pesada é feita durante a semana quando os supermercados fazem as promoções — diz Domingos.

ADEUS, SUPÉRFLUOS

Já a aposentada Iara Palmiro, de 65 anos, moradora do Itaim Bibi, também na Zona Sul de São Paulo, foi mais radical e cortou alguns itens considerados supérfluos de sua cesta de compra.

— Em relação aos alimentos, o consumidor acaba trocando por uma marca mais barata. Setores como cosméticos, itens de higiene pessoal e moda, por exemplo, devem ter crescimento menor já que estes itens eram aspiracão da classe C — afirma Reinaldo Saad, sócio da área de bens e consumo da consultoria Deloitte.

Mas especialistas avaliam que, diante do orçamento mais apertado, não só o brasileiro da classe C, mas toda a população, deverá continuar mudando seus hábitos de consumo em 2015.

— A expectativa é de mais um ano ruim para a economia, com juros ainda elevados. Sem perspectiva de aumento de salário, e até de desemprego, a confiança do consumidor caiu 14,5% em janeiro. Ele evita tomar novas dívidas, posterga as compras mais caras e acaba mudando seus hábitos de consumo — diz o assessor econômico da Federação do Comércio de São Paulo (Fecomércio), Vitor França.

O economista da Fecomércio destaca que o brasileiro está com a renda mais comprometida com itens essenciais como conta de luz e água, transporte e aluguel, que ficaram mais caros nos últimos meses. Uma pesquisa do Datafolha também constatou que quase metade dos brasileiros (46%) vai consumir menos nos próximos seis meses, e 56% já vêm cortando despesas desde o segundo semestre de 2014. Significa que o consumo, que vinha puxando o crescimento da economia desde 2008, dará freada prejudicando ainda mais o Produto Interno Bruto (PIB, conjunto dos bens e serviços produzidos no país). Não sem motivos, na média, os analistas de mercado preveem que a economia encolha 0,5% este ano. (Colaborou Clarice Spitz)
(Fonte: O Globo)

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Ex-gerente executivo da Petrobras enviou US$ 6 milhões para HSBC Suíço

Barusco enviou US$ 6 milhões para HSBC suíço


SÃO PAULO - O HSBC suíço foi um dos oito bancos usados por Pedro Barusco Filho, ex-gerente executivo da Petrobras, para movimentar a propina que recebeu pelo desvio de dinheiro de obras da estatal. Na filial do banco na Suíça, Barusco mantinha a conta em Genebra, com saldo de US$ 6 milhões. A conta no HSBC estava em nome da offshore Vanna Hill, empresa que, por sua vez, pertencia no papel à mulher de Barusco, Luciana Adriano Franco. No acordo de delação premiada, Barusco se comprometeu a devolver US$ 67,5 milhões, entre eles os US$ 6 milhões depositados no HSBC.

A filial suíça do banco é acusada de acobertar um esquema de lavagem de dinheiro e evasão de divisas. Os dados dos clientes do banco foram vazados por um ex-funcionário do HSBC, que, em janeiro passado, deu início a uma investigação batizada de "SwissLeaks", feita por 154 jornalistas de 45 países. A movimentação milionária no HSBC ocorreu entre 2006 e 2007.


Entre os bancos usados por Barusco para esconder a propina no exterior, os que receberam os maiores valores foram o Safra Sarasin (US$ 21,6 milhões) e o Lombard Odier (US$ 14 milhões). A propina foi distribuída ainda pelos bancos Cramer (US$ 2,9 milhões), Royal Bank do Canadá (R$ 7,1 milhões), Pictec (R$ 1,6 milhão), Delta (R$ 3 milhões) e PKB (US$ 11,1 milhões).

Barusco começou a receber propina em 1995, quando atuava na área de Exploração e Produção. Entre 1995 e 2003, afirmou ter recebido por mês entre US$ 25 mil a US$ 50 mil de uma única empresa, a holandesa SBM. Na Diretoria de Serviços da Petrobras, comandada pelo ex-diretor Renato Duque, o valor chegou a pelo menos US$ 22 milhões entre 1997 e 2010, e o dinheiro passou por 13 offshores.

O valor, porém, pode ser bem maior. Todos os contratos acima de US$ 20 milhões passavam por Duque. Segundo as denúncias, ele e o PT também atuaram na diretoria de Exploração e Produção, dona de 60% dos investimentos da estatal.
(Fonte: O Globo)

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

PT fará campanha nacional para arrecadar dinheiro para o partido

Após "sucesso" de site de Genoino, PT fará campanhas para arrecadar dinheiro para todo o partido


Diante de uma queda de 42% das receitas vindas do Fundo Partidário e do efeito da Operação Lava Jato, que afugentou os financiadores privados, o PT vai recorrer à sua militância para tentar reforçar o caixa partidário em 2015.

Nas próximas semanas, o partido vai lançar uma campanha nacional de arrecadação entre seus filiados. A intenção é distribuir carnês aos voluntários para que eles façam contribuições mensais e garantam a estabilidade financeira da legenda neste ano.

Segundo o tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, as doações de empresas privadas ao partido simplesmente deixaram de existir. "Os empresários não querem nem saber de conversa", disse ele recentemente a petistas.

Vaccari, que é investigado na lava jato por suspeita de intermediar o pagamento de propinas ao PT, tem dito que a operação é uma tentativa de criminalizar as doações feitas ao partido - segundo ele, legais e contabilizadas. "Estão tentando forçar a compreensão de que qualquer doação é propina", defende o tesoureiro, que nega qualquer participação no esquema.

O PT ainda não calculou o impacto da Lava Jato e da pulverização de legendas nas contas partidárias. Alguns dirigentes falam em uma perda de R$ 1 milhão ao mês , correspondentes a cerca de 10% do orçamento petista, que foi de R$123 milhões em 2013.

Sem avião. Embora o partido não admita oficialmente, a falta de recursos já pode ser sentida. No dia 6 de fevereiro o diretório nacional se reuniu em Belo Horizonte antes da festa de 35 anos do PT. Além das comemorações, a Escola Nacional de Formação e a Secretaria de Comunicação promoveram encontros de dirigentes estaduais. Muitos deles tiveram que ir de carro até a capital mineira, pois a direção nacional se recusou a bancar passagens aéreas.
(Fonte: JusBrasil)


segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Denúncia: Trabalho infantil no Carnaval do Recife


Ex-secretária de Juventude da Prefeitura do Recife, a vereadora Marília Arraes (PSB) fez uma blitz por cinco polos do Carnaval recifense e em dois deles encontrou crianças trabalhando, inclusive vendendo bebidas alcoólicas junto dos pais.

A situação tem sido denunciada através da página da vereadora no Facebook. Os casos foram identificados em Jardim São Paulo e no Cordeiro, na Zona Oeste do Recife.

Marília, que realizou uma audiência pública no início do mês para debater o assunto, diz que a gestão do prefeito Geraldo Julio (PSB) ignorou os alertas feitos pela Câmara.

“Isso é um absurdo. A PCR disse que haveria equipes volantes atuando para coibir o trabalho infantil em todas as RPAs. Claro que ficou somente na promessa”, afirmou.

“É preciso que a sociedade abra os olhos para esta situação. Muita gente não vê problema nisso, mas lugar de criança não é trabalhando. Nem no Carnaval nem em nenhum evento”, disse.


Neta de Miguel Arraes e prima de Eduardo Campos, ambos ex-governadores pelo PSB, Marília tem adotado uma postura mais próxima da oposição desde as eleições do ano passado, quando apoiou Armando Monteiro Neto (PTB) para governador e Dilma Rousseff (PT) para presidente.

HUMBERTO COSTA IRONIZA "GOLPISMO" DO PSDB


“Para o PSDB voltar ao poder, será preciso mais do que um impeachment. Eles terão de detonar o Michel Temer e, depois, tirar o Lula das eleições”, disse o líder do PT no Senado, Humberto Costa; com Cássio Cunha Lima como porta-voz, partido incita golpe contra a presidente eleita Dilma Rousseff


247 – O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE) ironizou o "golpismo" tucano contra o governo Dilma.

“Para o PSDB voltar ao poder, será preciso mais do que um impeachment. Eles terão de detonar o Michel Temer e, depois, tirar o Lula das eleições”, disse, segundo nota do colunista Ilimar Franco.

Com Cássio Cunha Lima como porta-voz, partido está por trás de manifestações nas redes sociais pendido a queda da presidente eleita Dilma Rousseff.

Veja também: 

Barcos fantasmas com imigrantes: um problema à deriva no Mediterrâneo

Patrulhas europeias resgatam milhares de pessoas abandonadas em alto mar.


MADRI — Eram por volta das 23h quando, na escuridão do mar, começaram a tomar forma diante dos olhos de André Jonsen centenas de famílias suplicando que lhes tirassem daquele barco sem combustível e à deriva no meio do temporal.

— Muitos estavam em jaulas de animais. Havia gente desidratada. Outros tremiam de frio.

O navio Ezadeen, interceptado em janeiro em alto mar com quase 500 pessoas a bordo, foi o terceiro barco fantasma que o marinheiro islandês viu desde dezembro.

— As condições dos três eram péssimas — contou o jovem de 26 anos.

A técnica de abordagem ele conhece de muito bem, mas enfrentar cara a cara o desespero extremo é uma novidade.

— Isso não é lugar para seres humanos — estima.

A experiência de Jonsen não é única. A aparição de cargueiros fantasmas no Mediterrâneo, cheio de refugiados de guerra e imigrantes é um fenômeno que aumentou nos últimos meses, durante o inverno europeu, e os observadores agora querem saber se é algo consolidado ou se trata de casos isolados.

Nos últimos 10 anos, o inverno era baixa temporada para os traficantes, que encontravam menos pessoas dispostas em morrer de frio nos botes. Os navios cargueiros, muito mais seguros e protegidos das baixas temperaturas, ameaçam agora pôr fim a esta prática de imigração apenas no verão europeu.

Esta nova forma de via de imigração é um negócio bem lucrativo, já que a passagem pode custar três vezes mais que em barcos pequenos. É também mais segura e aumenta a probabilidade de sobreviver. Os refugiados sírios, muito deles endinheirados, estão dispostos a pagar até €5 mil.

Turquia, principal ponto de partida dos navios aumentou o controle nas últimas semanas. A preocupação dos especialistas agora é a Líbia. Durante este inverno europeu, 14 navios de carga com imigrantes a bordo já foram interceptados no Mediterrâneo, de acordo com a Frontex, a agência europeia de fronteiras, que patrulha os barcos na região.


Em cada barco viajam entre 200 e 800 pessoas. Só o Tyr, resgatou duas mil pessoas em cinco barcos cargueiros, segundo calcula Einar Valsson, capitão islandês, cujo país não pertence à União Europeia mas eles dividem com os europeus as fronteiras exteriores do espaço Schenghen.


— Quando há um barco suspeito nos avisam desde Roma e navegamos com toda a pressa até ali — explica Valsson.

De acordo com Frontex, ano passado 278 mil tentaram entrar na Europa, o dobre de 2011 (141 mil), quando eclodiu a Primavera Árabe.

Os clientes são recrutados nas redes sociais como Facebook. Já os navios, velhos, oxidados, que deveriam ser aposentados, são vendidos por €500 mil. São embarcações sem bandeira, matrícula, nem armador conhecido.

A maioria dos barcos interceptados saíram das cidades turcas Mersin, Izmir e Bodrum. Egito e Argélia, locais tradicionais de embarcações clandestinas, agora exigem vistos dos sírios, o que contribuiu para que a Turquia se transforme em um concorrido trampolim para a Europa.

Raffaele Monte, agente marítimo em Pozzallo, na Sicília, diz que os contrabandistas partem da Turquia ou da própria Síria com o sistema de identificação automática desligado, por isso não aparece nos radares marinhos. Entregam aos imigrantes um telefone por satélite, com um número de um porto ou alguém que possa alertar as autoridades. O GPS do telefone permite à marinha italiana de identificar a embarcação. Os traficantes ativam o piloto automático, jogam o telefone no mar e fogem em um barco pequeno.

Para Monte, as causas do aumento de barcos fantasmas é a rentabilidade do tráfico humano com o aumento da demanda devido as guerras e conflitos. E também dá um destino aos barcos que a crise do comércio marítimo deixou envelhecer, em completo abandono.

(Fonte: O Globo)

domingo, 15 de fevereiro de 2015

Tradicional bloco de rua de Brasília, Pacotão faz críticas à política do DF


Nem a crise financeira do Distrito Federal, que fez com que o governo local suspendesse o repasse de recursos para o carnaval na cidade, diminuiu a empolgação, a irreverência e a disposição dos organizadores do Pacotão, um dos mais tradicionais blocos de rua de Brasília. O bloco, que em 2015 completa 37 anos, desfila na contramão da avenida W3, no centro da capital do país, e superou as dificuldades financeiras para levar às ruas de Brasília muito samba, humor, ironia e a conhecida sátira política.

“O pacotão tem 37 anos de tradição e é o bloco de maior expressão do carnaval de Brasília. Buscamos apoio na iniciativa privada, conseguimos recursos, parcerias, porque esse bloco não pode deixar de sair”, disse o puxador e coordenador de banda do Pacotão, o músico Tony Santos

Segundo ele, a crise financeira enfrentada pelo governo do Distrito Federal será tema das marchinhas deste ano. “[O tema] Estará, com certeza, mas de forma sutil, porque existe a dificuldade no repasse de recursos para a saúde e para a educação e longe do Pacotão querer prioridade no recebimento de verbas”, argumentou.

Mas se o bloco se mostrou sensível à crise que afeta a saúde e a educação, por outro lado, não poupou o governador Rodrigo Rollemberg e seu antecessor, Agnelo Queiroz. “O Rollemberg é o principal alvo”, brincou Santos. Segundo ele, a música que ganhou o concurso do bloco este ano aborda, principalmente, o “desgoverno” que passa a capital do país.

“Saiu o Agnulo e entrou o Enrolaumbeque”, diz trecho do refrão da música do Pacotão.

Jadir Alves brinca no bloco Pacotão
 
Marcelo Camargo/Agência Brasil
A crítica bem-humorada tradicional do Pacotão não deixará de lado também a crise da Petrobras e o governo da presidenta Dilma Rousseff. O médico Jadir Alves, 65 anos, se inspirou na crise da estatal para compor a fantasia. Usando óculos com as lentes “tortas”, ele “homenageou” o ex-diretor da área internacional da estatal Nestor Cerveró.

“Aproveitei o momento para montar esse visual. O Brasil tem que sorrir legal, mesmo com os problemas”, disse ressaltou. “O Pacotão é um meio de a gente protestar com alegria”, acrescentou.

De camiseta, bermuda, tênis, uma mochila com frutas e muita disposição, a passadeira Aldenora Baia de Castro saiu cedo de casa, em Ceilândia, a 25 quilômetros do centro de Brasília, especialmente para curtir o Pacotão. “É bom demais. Sempre venho para o Pacotão. Gosto muito do bom humor do bloco. Carnaval é o momento de extravasar”, disse animada na concentração do bloco.

O carioca aposentado José Ferreira Filho, radicado em Brasília desde 1974, rechaçou a crença de que a capital do país não tem folia. “Estou com 79 anos, sou carioca da Lapa, vim para cá e sempre brinquei. Para mim, o carnaval aqui sempre foi bom”, lembrou.

Este ano, o Pacotão espera atrair mais foliões. “Nunca saímos com menos de 6 mil pessoas acompanhando o Pacotão. Este ano, como Brasília não terá desfile das escolas de samba, esperamos um número bem maior”, disse Tony Santos.


'Houve maquiagem nas contas da Presidente Dilma', afirma ministro do TCU


João Augusto Ribeiro Nardes, ministro do Tribunal de Contas da União e relator das despesas da Presidente Dilma Rousseff em 2015 é taxativo: 2,3 trilhões de reais não estão contabilizados nas contas da presidência”. Segundo Nardes, esse dinheiro é proveniente da previdência atuarial, que soma a previdência dos funcionários públicos. Em uma entrevista exclusiva à Joice Hasselmann, no ‘Direto ao Ponto’, Nardes afirma que “a proposta este ano era não aprovar as contas de Dilma”. E revela que se o país não voltar a crescer entre 3% e 4%, “não há condições de pagar os aposentados”.

Alexandre Garcia dá sua opinião e chama governo Dilma de “desastroso”, e também fala sobre denúncia de maquiagem nas contas públicas. 



Custo de um parlamentar aumentou 37% nos últimos cinco anos

Custo anual dos mandatos dos 513 deputados federais aumenta R$ 265 milhões em cinco anos. No mesmo período, o salário pago a cada um deles mais que dobrou


    
O discurso de austeridade em tempos de crise financeira não encontra ressonância nas cifras das regalias acumuladas na Câmara dos Deputados. Levantamento feito pelo Correio Braziliense mostra que o custo de um parlamentar, somando o vencimento e todos os benefícios a que tem direito, aumentou 37% nos últimos cinco anos. Pulou de R$ 1,4 milhão por ano para R$ 1,9 milhão. São 6% acima da inflação calculada no período. Considerando os 513 deputados, o salto foi de R$ 720 milhões para R$ 985 milhões. Um impacto nominal de R$ 265 milhões.

O item que mais contribuiu para o estouro foi o salário; no entanto, também houve reajuste em regalias históricas, a exemplo do cotão (passagens aéreas, alimentação e outros), da verba de gabinete e das despesas médicas. O salário das excelências mais que dobrou de 2010 para cá. Passou de R$ 16,5 mil para R$ 33,7 mil. São impressionantes 104% de aumento. Com a inflação acumulada nos últimos cinco anos, o reajuste fica em 54%.

O chamado cotão cobre passagens aéreas, fretamento de aeronaves, alimentação, cota postal e telefônica, combustíveis e lubrificantes, consultorias, divulgação do mandato, aluguel e demais despesas de escritório políticos, assinatura e publicações e serviços de TV e internet e ainda contratação de segurança. O valor do recurso é variável. O Correio Braziliense utilizou como base a média dos 513 deputados, levando em consideração as diferenças entre as unidades da Federação.

No fim de 2010, cada parlamentar tinha direito, em média, a R$ 353,62 mil por ano. Agora, são R$ 429 mil, o que representa 21% a mais. O valor, no entanto, ficou 6% abaixo da inflação no período considerado. O ressarcimento ilimitado de despesas médicas teve um aumento de 46%. As verbas de gabinete saltaram de R$ 780 mil por ano, em 2010, para R$ 1 milhão neste ano, o que significa um impacto nominal de 30%.




sábado, 14 de fevereiro de 2015

Justiça hipoteca sede da Petrobras para evitar calote bilionário da estatal

Decisão tomada nesta quinta-feira visa a indenizar em quase R$ 1 bilhão a Refinaria Manguinhos, que processa a estatal em virtude prejuízos com a política de controle de preços da gasolina


Por: Filipe Coutinho

Sede da Petrobras no Rio de Janeiro
(Foto: Fábio Motta/Estadão Conteúdo)
Está na hora de convocar um padre para benzer – ou exorcizar – a Petrobras. É uma bruxaria atrás da outra. Não bastasse o impacto da operação Lava Jato nas finanças da empresa, entre outros tantos problemas que vêm a público dia sim, outro também, a Petrobras teve sua sede hipotecada pela Justiça do Rio de Janeiro, em decisão tomada nesta quinta-feira (12). A hipoteca serve como forma de garantir o pagamento de uma dívida de R$ 935 milhões, causada por “conduta predatória” da estatal. Os oito mil funcionários da empresa, que estão sem norte, podem ficar sem teto. A estatal, naturalmente, pode e ainda vai recorrer da decisão.

O edifício hipotecado é a tradicional sede da estatal, localizada na Avenida Chile, no centro do Rio. Chamado de Edise, uma abreviação de Edifício Sede, o prédio inaugurado em 1974 foi construído por uma antiga parceira da Petrobras, a Odebrecht – agora investigada na Lava Jato. A sede que conta com 26 andares e jardins suspensos.

A derrota judicial é mais um capítulo da disputa que a Petrobras trava com a Refinaria Manguinhos, localizada no Rio de Janeiro. A refinaria cobra da Petrobras danos materiais pela política de preços da estatal.

A crise enfrentada pela Petrobras foi um dos argumentos utilizados pela juíza Kátia Torres, da 25ª Vara Cível do Rio de Janeiro, para determinar a hipoteca da sede da estatal. Na prática, a hipoteca significa que, em caso de calote, a sede poderia ser usada para o pagamento. “Além do julgado envolver expressiva condenação de valor líquido, os problemas financeiros enfrentados pela ré são públicos e notórios, impondo-se a adoção da medida constritiva com vistas à efetividade do processo”, diz a decisão da juíza.


A hipoteca judiciária é um desdobramento de outra decisão judicial, também da 25ª Vara Cível do Rio de Janeiro, tomada em novembro do ano passado. Na decisão inicial, a juíza Simone Chevrand determinou o pagamento de R$ 935 milhões à Refinaria Manguinhos, por danos materiais. “Além de ser fato notório que há controle de inflação pelo governo federal através da política de preços de combustíveis, tal grande ingerência à qual o réu está submetido é admitida pelo mesmo em sua contestação e o leva a praticar, sim, preços que inviabilizam a concorrência”, escreveu a juíza.

De acordo com a sentença, ficou comprovado o dano causado pela Petrobras. “É bem verdade que não cabe ao Judiciário, no âmbito do processo judicial, realizar discurso político partidário. O que lhe cabe é constatar que se o réu – movido por injunções políticas governamentais -, em sua atividade empresarial ocasiona danos a terceiros, deve indenizá-los. E por isto se adiantou que a solução da questão passa, na realidade, por aplicação de regra elementar de responsabilidade civil. Como demonstrado, a conduta predatória ocorreu e o dano restou comprovado”.

Em nota, a Petrobras afirmou que irá recorrer à decisão e que "a hipoteca noticiada representa garantia de condenação que ainda não é definitiva". Leia a íntegra do comunicado abaixo:

"A Petrobras esclarece que trata-se de decisão de primeiro grau, sujeita a recurso ao tribunal local e aos tribunais superiores. A Petrobras, tão logo intimada, vai recorrer. Portanto, não se pode falar em 'dívida', muito menos na possibilidade de 'calote', termo pejorativo utilizado na matéria.

A hipoteca noticiada representa garantia de condenação que ainda não é definitiva e, portanto, inadmite execução. A companhia também avalia os reflexos do prematuro ônus imposto pelo juízo de primeira instância para adoção das medidas judiciais cabíveis".
(Fonte: Época)

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Carnaval, feriados e emendas devem impactar economia do País em 2015

Copa do Mundo e feriados foram decisivos para o 'pibinho' brasileiro em 2014, diz especialista

A Copa do Mundo e a grande quantidade de feriadões contribuíram para o fraco desempenho da economia brasileira ao longo de 2014, segundo especialistas consultados pelo R7. O resultado oficial ainda não saiu, mas deve indicar estagnação ou até recuo da atividade econômica.

A preocupação, no entanto, é que o número de paralisações em 2015 — a começar pelo Carnaval — é ainda maior e deve afetar novamente o PIB (Produto Interno Bruto) nacional.

A divulgação dos dados do crescimento no último trimestre do ano passado, marcado para acontecer no dia 27 de março, não deve apontar que a economia permaneceu estagnada, segundo a estimativa divulgada nesta semana pelo BC (Banco Central).

O índice do BC (Banco Central) que mede o crescimento da economia, o IBC-Br (Índice de Atividade Econômica), indicou que o PIB recuou 0,15% no ano passado. Trata-se de uma prévia do resultado oficial.

Christian Barbosa, profissional especialista em produtividade, avalia que os feriados afetam diretamente o desempenho do PIB, porque a diminuição das vendas e da produção não são compensados pelo turismo gerado nos períodos. Com isso, ele classifica os feriados que caem na terça e na quinta-feira como os piores carrascos para o setor produtivo.

— O Brasil tem muitas emendas, o que é uma coisa muito típica nossa. Então, a gente não perde só a quinta, mas a quinta e a sexta-feira. Acho que isso é um grande problema para a economia.


Barbosa explica ainda que a perda de desempenho causada pelos feriados acontece não somente pelas pausas em si, mas também pelos desdobramentos gerados na volta ao trabalho.

— Segunda-feira é um dos dias mais improdutivos, porque você passa o fim de semana relaxando e até a segunda engatar de vez, você demora cerca de duas ou três horas para começar a trabalhar.

Segundo Fernando Macedo, especialista em redução de custos para empresas, o planejamento prévio é essencial para não haver tantas perdas com a grade quantidade de feriados. Para ele, em muitas situações fica mais barato o empregador não pagar os benefícios ao funcionário do que ter um profissional desmotivado dentro da empresa.

— Se você já sabe que vai ter os feriadões, trabalhe antes para isso (...) O nível de produtividade sempre cai. É muito melhor você já ter planejado e colocar algumas regras internas.

Copa do Mundo


Para Barbosa, o andamento da economia foi diretamente afetado pelo Mundial, que gerou paralizações inesperadas em todos os setores.

— A Copa do Mundo gerou um monte de feriados imprevistos e fora isso as pessoas estavam muito focadas no evento. Mesmo quando não era jogo do Brasil, a gente via que os funcionários paravam no período de um jogo ou eram dispensados mais cedo porque estavam envolvidos em ver a Copa.

Antônio Carlos Soares, CEO do Runrun.it, ferramenta que mede a produtividade por meio do volume de tarefas entregues por funcionários ativos das empresas, o evento esportivo chegou a diminuir o nível de produção pela metade.

— Existiu uma flutuação muito grande durante a Copa. A gente teve dias com queda de produtividade superior a 50%. Isso aconteceu de forma expressiva, em todos os setores e no Brasil inteiro.

Soares afirma que durante as eleições, ao contrário do que era esperado, a ferramenta não identificou queda no ritmo de produção.

“Catástrofe anunciada”


Neste ano, 11 dos 12 feriados nacionais ocorrerão em dias de semana, três a mais que no ano passado. Dentro desse cenário, economistas consultados pelo BC projetam um PIB de 0,44%.

De acordo com a Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro), estima-se que os feriados deste ano resultem em perdas de até R$ 64,6 bilhões para a indústria brasileira, valor que representa cerca de 4,8% do PIB Industrial brasileiro, comparado com 3,6% em 2014.

Barbosa estima que, aliado ao grande número de feriados, o ano de 2015 será marcado pelos problemas com o abastecimento de água e energia elétrica, o que pode ocasionar uma recessão.

— Se você pegar a quantidade de feriados que a gente vai ter, junto com os problemas hídricos e os de energia elétrica, a gente tem uma catástrofe anunciada. Neste ano, realmente, se o PIB ficar negativo, não vai me surpreender.
(Fonte: R7)

Senador Magno Malta diz que Aécio recebeu um livramento de Deus [Vídeo]


O senador Magno Malta (PR-ES) foi um dos que parabenizaram Aécio, mesmo sendo de um partido que fez parte da coligação de Dilma Rousseff durante as eleições. Malta disse não se constranger em declarar seu voto em Aécio e fez duras críticas ao governo do PT. Segundo ele, foi bom o tucano ter perdido, para ser poupado da crise que, irá assolar o País.


Deputados terão 11 dias de folga no carnaval

NOS PRIMEIROS DIAS, EDUARDO CUNHA (PMDB-RJ) IMPÔS UM RITMO DE VOTAÇÕES ACELERADO E COM POUCA TOLERÂNCIA AOS DEPUTADOS FALTOSOS

CÂMARA DOS DEPUTADOS (FOTO: LUIS MACEDO / CÂMARA DOS DEPUTADOS)


Após três dias intensos de votações na semana de pré-carnaval, a Câmara dos Deputados vive um dia de calmaria com apenas 62 parlamentares na Casa se revezando na tribuna da sessão não deliberativa. Os deputados terão pela frente 11 dias de folga e só voltarão a Brasília no dia 24.
Nos primeiros dias da "era" Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o novo presidente impôs um ritmo de votações acelerado e, com pouca tolerância aos deputados faltosos, o quórum vem se mantendo alto. Na segunda-feira (9/02), dia sem sessões deliberativas, 464 estiveram presentes. O pico do quórum da semana foi na terça-feira (10), com 492 deputados. Ontem, 487 foram ao trabalho.
Cunha elogiou o quórum elevado na última terça-feira. "Isso mostra que a Câmara dos Deputados quer e vai trabalhar nesta Legislatura. Muito obrigado à Casa por todo este esforço", declarou o presidente no final da votação do Orçamento Impositivo.
A semana foi marcada pela aprovação em segundo turno da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do Orçamento Impositivo, a votação da lei da biodiversidade e a instalação da Comissão Especial para discutir a Reforma Política. A última sessão deliberativa da semana foi encerrada na manhã de ontem com a aprovação do projeto que trata da jornada de trabalho dos caminhoneiros.
Na última semana de fevereiro, Cunha analisará os oito requerimentos de instalação de Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs) que aguardam autorização. O último pedido foi protocolado ontem pelo ex-líder do PT, Vicentinho (SP), requerendo apuração das denúncias de falta e deficiência de órgãos públicos no atendimento de mulheres em situação de violência.
O presidente só deliberou até o momento sobre a criação da CPI da Petrobras, que deverá ser instalada no retorno do carnaval. Alguns partidos, como o PT, ainda não encaminharam a indicação de seus representantes. Cunha poderá fazer as indicações nos casos onde não houver o encaminhamento das bancadas.
No dia 26 já está marcada a reunião dos líderes partidários para definição dos comandos das 22 comissões temáticas. A mais importante delas, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) ficará com o maior bloco da Casa, liderado pelo PMDB.
(Fonte: Negócios)