Pesquise aqui o assunto que você procura:

domingo, 11 de maio de 2014

Brasil ocupa antepenúltima posição em ranking internacional de educação

COM MARINA AZAREDO

O Brasil aparece na 38.ª posição entre 40 países analisados no The Learning Curve (Curva do Aprendizado, em inglês), realizado pela The Economist Intelligence Unit (EIU) e Pearson Internacional. Em relação ao estudo anterior, de 2012, o País subiu uma colocação, apesar de ter piorado seu desempenho no índice.

O levantamento da EIU e da Person considera diferentes avaliações, relacionando-as com a produtividade do país. O índice leva em conta habilidades cognitivas e de desempenho escolar a partir do cruzamento de indicadores da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE): Programa Internacional de Avaliação dos Alunos (Pisa), Tendências Internacionais nos Estudos de Matemática e Ciência (Timms) e avaliações do Progresso no Estudo Internacional de Alfabetização e Leitura (Pirls). Também são usados dados educacionais de alfabetização e taxas de aprovação.

No estudo deste ano, o Brasil passou o México no ranking, porque aquele país teve um recuo ainda maior no índice. O último lugar continua ocupado pela Indonésia. As primeiras posições trazem novidades, com nações asiáticas, como Coreia do Sul e Japão, tomando o lugar da Finlândia, que havia muitos anos figurava na liderança da maioria das avaliações.

“O sucesso desses países destaca a importância de ter objetivos claros para o sistema educacional e uma forte cultura de responsabilidade na prestação de contas”, afirma o relatório.

Qualidade. Para Michael Barber, chefe de Educação da Pearson, os governos de todo o mundo estão sob pressão para melhorar a aprendizagem. “Isso é cada vez mais importante para o sucesso das pessoas”, disse.
O relatório ressalta a ligação estatística entre o tempo médio gasto na escola por um estudante de um país e a produtividade dos trabalhadores. Aponta ainda que é imprescindível a qualidade da formação básica, mas a retenção de habilidades depende da continuidade da aprendizagem ao longo da vida adulta.

A professora Maria Helena Guimarães de Castro, presidente da Fundação Seade, afirma que o Brasil tem resultados muito positivos na inclusão dos últimos 25 anos, mas que o desafio agora é a qualidade. “O essencial está no ensino fundamental, com professores estimulados e bem formados”, diz ela, que foi consultora do relatório. “A produtividade do Brasil é muito baixa e precisamos avançar. Mas é claro que esse não é o único sentido da educação.”

Para o presidente da Pearson no Brasil, Giovanni Giovannelli, o diagnóstico também pode ajudar os gestores por mostrar as práticas que funcionam no mundo. “Tem quase 200 países nas Nações Unidas e só esses 40 têm essa medição. Só isso é em si um fato positivo para o Brasil”, diz ele.

POSIÇÃO 2014 PAÍSES Z-SCORE POSIÇÃO 2012 MUDANÇA NO SCORE 2014 / 2012
1 COREIA 1.30 1 0.07
2 JAPÃO 1.03 2 0.14
3 CINGAPURA 0.99 2 0.15
4 HONG KONG 0.96 -1 0.05
5 FINLÂNDIA 0.92 -4 -0.34
6 REINO UNIDO 0.67 0 0.07
7 CANADÁ 0.60 3 0.05
8 HOLANDA 0.58 -1 -0.01
9 IRLANDA 0.51 2 -0.02
10 POLÔNIA 0.50 4 0.08
11 DINAMARCA 0.46 1 -0.04
12 ALEMANHA 0.41 3 0.00
13 RÚSSIA 0.40 7 0.14
14 ESTADOS UNIDOS 0.39 3 0.04
15 AUSTRÁLIA 0.38 -2 -0.08
16 NOVA ZELÂNDIA 0.35 -8 -0.22
17 ISRAEL 0.30 12 0.45
18 BÉLGICA 0.28 -2 -0.07
19 REPÚBLICA TCHECA 0.27 3 0.07
20 SUÍÇA 0.25 -11 -0.30
21 NORUEGA 0.21 5 0.10
22 HUNGRIA 0.17 -4 -0.16
23 FRANÇA 0.17 2 0.04
24 SUÉCIA 0.17 -3 -0.06
25 ITÁLIA 0.11 -1 -0.03
26 ÁUSTRIA 0.10 -3 -0.05
27 ESLOVÁQUIA 0.09 -8 -0.23
28 PORTUGAL 0.04 -1 0.03
29 ESPANHA -0.08 -1 0.01
30 BULGÁRIA -0.26 0 -0.03
31 ROMÊNIA -0.44 1 0.16
32 CHILE -0.79 1 -0.13
33 GRÉCIA -0.86 -2 -0.55
34 TURQUIA -0.94 0 0.30
35 TAILÂNDIA -1.16 2 0.30
36 COLÔMBIA -1.25 0 0.21
37 ARGENTINA -1.49 -2 -0.09
38 BRASIL -1.73 1 -0.08
39 MÉXICO -1.76 -1 -0.16
40 INDONÉSIA -1.84 0 0.19

Nota: As pontuações do Índice são representadas pelo Z-Score (pontuação Z), que indica quantas divergências de padrão uma observação está acima ou abaixo da média. O processo de normalizar todos os valores no Índice com o Z-Score permite uma comparação direta dos desempenhos dos países em todos os indicadores. Note que os Z-Scores listados são específicos à sua respectiva versão no Índice e seus países. Ao fazer comparações de países individuais nas versões do Índice, é importante focar na colocação do país no ranking e não na pontuação do Z-Score. FONTE: : The Economist Intelligence Unit

*A reportagem saiu originalmente na edição impressa do Jornal O Estado de S. Paulo.

**********************

Análise:

Países que tratam educação como assunto estratégico colhem desenvolvimento econômico

Por Ilona Becskeházy, consultora em educação

O projeto “A Curva de Aprendizado”, que apresenta agora seu segundo relatório, organiza dados complexos, obtidos de fontes diversas, de forma a potencializar seu uso informativo, além de permitir a comparação entre cenários e resultados educacionais de cerca de um quarto dos países do mundo. Entre eles, o Brasil. As conclusões que o projeto vem apresentando, assim como as informações que o compõem, não são desconhecidas por quem se interessa pelas políticas educacionais, mas têm permanecido ao largo dos desenhos das intervenções propostas para o setor em nosso País.

O relatório tem o diferencial de analisar a educação levando em conta o contexto socioeconômico de cada país, que guarda relações tanto de causa como de efeito de sistemas educacionais competentes ou incompetentes. Os que trataram o tema da educação como assunto estratégico e implementaram, por décadas, reformas estruturantes, além de fazer investimentos em recursos humanos e materiais para garantir patamares altos de exigência a todos os seus alunos, colhem as recompensas de maior desenvolvimento econômico e bem estar individual. Os que não fizeram, simplesmente não colheram. Entre eles, o Brasil.

O responsável pela elaboração do relatório menciona o interesse de Ministros da Educação em saber como melhorar seus sistemas educativos. Entre eles, não está o Brasil. Por aqui, desdenhamos o que se aprendeu nos processos de estruturação educacional em países que hoje são industrializados porque nosso desenvolvimento prescindiu da educação. A nação se satisfez com o consumo baseado na exploração de riquezas naturais e não cobrou a distribuição do conhecimento. Escolhemos parâmetros medíocres e soluções paliativas para que ninguém se sinta incomodado.

Perspectivas de mudança? Basta ler o que vai proposto no Plano Nacional de Educação que será votado em breve, para se perceber que mantemos a prática de deixar como está para ver como fica.
(Fonte: Estadão)

Duas redes de supermercados interditados em Recife

Notícias de Pernambuco:


quarta-feira, 7 de maio de 2014

Anvisa suspende 14 marcas de tinta usadas para tatuagens

Vigilâncias Sanitárias dos Estados e municípios devem apreender e inutilizar as unidades irregulares


A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) suspendeu a utilização de 14 marcas de tintas para tatuagens por falta de registro na agência. A resolução foi publicada nesta terça-feira, 6, no Diário Oficial da União. As marcas suspensas são: Intenze, Eternal Ink, Suprema Collors, Solid Ink, Drawing Ink 700, Extrema Magic Collors, Master Ink, Kuro Sumi, Murano, Kactus, Kokkai Sumi Ink, Infinity Tattoo Ink, Korrai Sumi Ink e Bowery Ink.

As Vigilâncias Sanitárias dos Estados e municípios do País foram orientadas a apreender e inutilizar as unidades destas marcas encontradas no mercado. A Anvisa também tenta impedir o uso de outra tinta, a Indian Ink, que tem registro na agência, mas não deve ser usada para tatuagens.

No País, de acordo com a Anvisa, há apenas três marcas de tinta regulares para tatuagens: a Starbrite Colors, a Electric Ink e a Irons Work.
(Fonte: Estadão)

segunda-feira, 5 de maio de 2014

Ministra defende reajuste do Bolsa Famíla e diz que impacto será de R$ 1,7 bilhões

 O reajuste de 10% no valor dos benefícios do Bolsa Família terá impacto fiscal de R$ 1,7 bilhão em 2014 e R$ 2,7 bilhões em 2015. O aumento, anunciado pela presidenta Dilma Rousseff em pronunciamento, foi oficializado no dia (2) em decreto publicado no Diário Oficial da União.

O cálculo do impacto fiscal da medida foi apresentado pela ministra do Desenvolvimento Social, Tereza Campello, que defendeu a medida, diante das críticas feitas pela oposição de que o reajuste não atende ao critério estabelecido pela Organização das Nações Unidas, para determinar se a pessoa está acima ou abaixo da linha de pobreza extrema. Segundo ela é "leviano e irresponável" avaliar o aumento com base em indicadores financeiros como a variação do dólar.

“É leviano, irresponsável achar que as políticas públicas brasileiras, que são políticas de Estado, estabelecidas em legislação, possam variar segundo o dólar”, argumentou. “Não tem economista sério no Brasil que sustente que os indicadores internos devam seguir qualquer critério internacional, muito menos levando em conta o câmbio, que pode estar sujeito a especulações, movimentos temporário e periódicos temos que ser sérios, inclusive no que a gente fala”, defendeu.

Segundo Tereza Campello, o cálculo do reajuste leva em conta o critério da paridade do poder de compra e considera o valor mínimo de US$ 1,25 por dia por pessoa como renda mínima para estar acima da linha da pobreza extrema.

A ministra disse que o reajuste dos benefícios é compatível com a programação orçamentária deste ano e não compromete o ajuste fiscal que o governo vem fazendo.

Questionada sobre o caráter eleitoreiro do reajuste, anunciado a seis meses da disputa presidencial, Tereza Campello disse que as atualizações dos valores do Bolsa Família são feitas todos os anos, desde o início do governo, sob os mesmos critérios.

“Não há nenhuma novidade em fazer o reajuste. A novidade é as pessoas estarem tão preocupadas com o Bolsa Família agora como não estavam em 2011. Em 2011 demos um aumento importante, em 2012 e em 2013 também e agora isso parece surpreender. Nós estamos dentro de um ritual previsto, previsível e dentro do nosso planejamento”, avaliou.

“Temos que achar bom que as pessoas passem, finalmente a se preocupar com a pobreza. Nós estamos preocupados desde sempre, preocupados com a população pobre desde sempre”, acrescentou.

Segundo a ministra, desde o começo do governo Dilma, em 2011, o governo fez sete atualizações nos valores dos benefícios do Bolsa Família, com ganho real de cerca de 40% no valor médio do benefício. Em 2011, o valor médio do pagamento aos beneficiários do Bolsa Família era R$ 94 e com o novo reajuste passará a ser R$ 167, de acordo com a ministra.

Com o reajuste, o valor do benefício básico do Bolsa Família passou de R$ 70 para R$ 77 mensais. A correção também vale para os benefícios variáveis do programa, pagos a famílias que tenham crianças ou adolescentes até 15 anos, gestantes ou bebês de até seis meses. Nesses casos, o valor subiu de R$ 32 para R$ 35, até o limite de cinco por família.

Para o benefício variável vinculado a famílias que tenham adolescentes entre 16 e 17 anos, o valor passou de R$ 38 para R$ 42, até o limite de dois por família.





sexta-feira, 2 de maio de 2014

PM do Rio vai cortar folga de policiais em maio para tentar reduzir roubos

A Polícia Militar do Rio de Janeiro anunciou no dia (30) que foi adotado em caráter provisório para o mês de maio o Regime Adicional de Serviço (RAS) Compulsório, com o objetivo de aumentar a presença policial e reduzir índices de roubos no estado. Com isso, poderá ser utilizado 50% dos policiais de folga. O RAS é um programa que permite atender a necessidades temporárias de mão de obra na área de segurança pública do estado.

O sistema de turnos adicionais remunerados com escala diferenciada por meio do RAS foi criado para aumentar o policiamento em eventos específicos, como a Copa das Confederações, Jornada Mundial da Juventude, Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos, entre outros, sem prejuízo da escala regular de serviço.

A assessoria da Polícia Militar informou que, antes da criação do RAS, os policiais militares eram escalados nos dias de folga e não eram remunerados pelo serviço extra. O RAS compulsório é pago conforme o RAS voluntário. A medida está prevista no Decreto 43.538 de 3 de abril de 2012, que regulamenta o RAS. A previsão de descanso entre o serviço ordinário e o da folga é no mínimo de 8 horas.

De acordo com a assessoria da corporação, as prisões aumentaram significativamente entre janeiro do ano passado e deste ano. Em alguns batalhões, esse crescimento passou de 600% em um ano, como no de São Cristóvão, em que o número de prisões passou de seis para 49.

sábado, 5 de abril de 2014

Lula se reúne com Dilma e diz que é preciso evitar CPI da Petrobrás

Ex-presidente e sucessora traçam estratégia a fim de minimizar os danos das suspeitas que recaem sobre a compra de refinaria


Brasília - Em encontro de três horas, a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva conversaram nesta sexta-feira, 4, a sós sobre a crise política e a tentativa da oposição de instalar uma CPI da Petrobrás para fustigar o governo na campanha eleitoral. Lula avalia que o Palácio do Planalto deve fazer de tudo para segurar a CPI, considerada uma "arma" perigosa na direção de Dilma.

A reunião entre a presidente e seu padrinho político ocorreu em um elegante hotel da zona sul de São Paulo e foi a primeira depois que veio à tona a compra da refinaria de Pasadena, nos EUA, pela Petrobrás. O negócio é investigado pelo Ministério Público Federal e pelo Tribunal de Contas da União por suspeitas de superfaturamento.

Na avaliação de Lula, Dilma está na defensiva e precisa reagir, intensificando viagens para mostrar que o governo está fazendo. Para ele, a campanha começa a esquentar agora, porque, lém do senador Aécio Neves (PSDB-MG), Dilma terá em seu encalço o presidente do PSB, Eduardo Campos, que deixou o governo de Pernambuco nesta sexta.

Aécio e Campos serão adversários da presidente na disputa pelo Planalto e acertaram uma ofensiva conjunta para montar a CPI da Petrobrás. A estratégia do governo para inviabilizar a apuração do superfaturamento nos negócios da estatal consiste em apresentar sempre novos pedidos de CPI.

Após vários movimentos de idas e vindas do Planalto, a ideia agora é bater na tecla da necessidade de ampliar o foco das investigações - atingindo, por exemplo, o cartel do Metrô em São Paulo e denúncias de irregularidades no Porto de Suape, em Pernambuco -, para desgastar Aécio e Campos. Na prática, o governo conta com a proximidade da Copa e do calendário de campanha eleitoral para enterrar de vez a CPI.

Lula avalia que Dilma acabou puxando a crise para o Planalto quando disse que só votou favoravelmente à compra de Pasadena porque recebeu laudos incompletos sobre o negócio.

Na época, Dilma era ministra da Casa Civil e presidia o Conselho de Administração da estatal. Lula não gostou de ver sua sucessora praticamente apontando o dedo para José Sérgio Gabrielli, ex-presidente da Petrobrás e indicado por ele para o cargo.

Sem avisar. A conversa desta sexta entre Dilma e Lula não constava da agenda presidencial. O compromisso só foi incluído ali à noite, quase cinco horas após ter ocorrido.

A portas fechadas, o ex-presidente mostrou a Dilma o roteiro que pretende percorrer nesse início de campanha, disse esperar que a cúpula do PT resolva os problemas para a montagem de palanques estaduais com o PMDB e prometeu ir logo a Pernambuco, Estado onde ele e Campos nasceram. Dilma quer que o governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), também participe do núcleo de sua campanha à reeleição, que é coordenada pelo presidente do PT, Rui Falcão, para ajudá-la na região Nordeste. 
(Fonte: Estadão)

segunda-feira, 24 de março de 2014

Apostila da Fifa trata brasileiro como malandro

Aos poucos, as coisas vão entrando no clima da Copa. As propagandas da TV, os anúncios dos jornais e toda a mídia já começam a publicar o que têm preparado para o Mundial. Conforme o dia se aproxima, muitas outras coisas vão parecer, e mais e mais.

Disso se conclui que a Copa vai render um bom dinheiro - e a própria FIFA já anunciou que vai bater o recorde de lucros, este ano.

Conforme vai chegando o dia, a Fifa se alvoroça para alertar os turistas sobre o perigoso povo brasileiro. Para isso, divulgou - e depois retirou rapidamente - uma apostila de conselhos aos turistas que vierem ao Brasil durante a Copa. Entre os conselhos, eles alertam que:

- Brasileiro gosta de pegar, tocar. E que se bobear, brasileiro acaba beijando;

- Quando forem às churrascarias, ter paciência e guardar a fome porque brasileiro é malandro e deixa para oferecer as melhores carnes no final, quando você já tá entupido de pasteizinhos de vento.

- Brasileiro sempre quer levar vantagens nas filas e em diversas ocasiões;

- Brasileiro tem um conceito de tempo muito relativo. 11hs, 11h15 ou 11h30 é a mesma coisa.

(Fonte: R7)

E será que não é?
O que você acha? Deixe sua opinião!

terça-feira, 18 de março de 2014

Dilma gasta 16 Bilhões com propagandas mentirosas #AcordaBrasil

COMPARTILHEM P/ O MUNDO VER O QUE ESTA TERRORISTA CUBANA FAZ C/ O POVO; ISSO É TIRAR A DIGNIDADE DA FAMÍLIA; ISSO É MATAR DE FOME E DOENÇAS! COMPROVADO ! ESTE GOVERNO É TIRANO E COMUNISTAS!


ENQUANTO O POVO NO NORDESTE COME RATO PARA NÃO MORRER DE FOME, CRIANÇAS ESTÃO ABANDONADAS NAS ESCOLAS FEDERAIS SEM MERENDA E ATÉ MESMO SEM BANHEIRO E PAPEL HIGIÊNICO. O GOVERNO FEDERAL DE DILMA ROUSSEFF CORTA 3 BILHÕES DA SAÚDE PARA INVESTIR NA COPA DO MUNDO, TORRA 16 BILHÕES EM PROPAGANDA MENTIROSA PARA ENCOBRIR UM GOVERNO QUE INVESTE EM PAÍSES COMUNISTAS E SEUS DITADORES ASSASSINOS, GASTA BILHÕES EM CARTÕES CORPORATIVOS E INVESTE NO LUXO PALACIANO DE SEU GOVERNO DE OSTENTAÇÃO E ORGIAS COMUNISTAS. ESSE É O GOVERNO IMUNDO QUE DITA REGRAS PRÓPRIAS E IMPÕE UM REGIME AUTORITÁRIO REPRESENTADO PELA ARROGÂNCIA E INCOMPETÊNCIA DE DILMA ROUSSEFF. TORRAM DINHEIRO PÚBLICO, FALSIFICAM DOCUMENTOS, BURLAM AS LEIS, MENTEM, ROUBAM E ENGANAM O POVO DESTE BRASIL, SEM QUE ESTA NAÇÃO DE ACOMODADOS E DE ACOVARDADOS IMPONHAM SUA REVOLTA E SUA INDIGNAÇÃO COM ESTA DITADURA DO BANDITISMO E DA CORRUPÇÃO.

 Clique no link abaixo e assista ao vídeo do Senador Mário Couto, ao qual ele denuncia a mais vergonhosa situação em que encontra-se este País chamado Brasil:

 

https://www.youtube.com/watch?v=wk-iLYLGdKQ



terça-feira, 11 de março de 2014

Mini-helicóptero lança droga em presídio de São José dos Campos

Pacote com cocaína caiu dentro de pavilhão diante de agentes penitenciários; droga foi apreendida após revista 

 
(Colaboção ao blog: José Antonio Mesquita)
SÃO PAULO - Um mini-helicóptero com um pacote de 250 gramas de cocaína foi flagrado por agentes penitenciários na sexta-feira, 7, sobrevoando o Centro de Detenção Provisória (CDP) de São José dos Campos, no interior de São Paulo. O aparelho, segundo a Secretária de Administração Penitenciária (SAP), não era um drone (veículo aéreo não tripulado) e provavelmente se trata de um brinquedo guiado por controle remoto, com tecnologia muito mais simples. A informação foi publicada pelo jornal Folha de S.Paulo neste domingo, 9.

O objeto foi visto no Pavilhão 1 do CDP, onde lançou o pacote que foi pego pelos detentos rapidamente. De acordo com a SAP, os agentes não tiveram tempo para impedir a ação, mas realizaram uma revista nas celas em seguida e conseguiram apreender a droga. O material foi encaminhado a uma delegacia de polícia da região.

A ala onde a droga foi despejada foi fechada no sábado, 8, por questões de segurança, sem possibilidade de visitas.
 (Fonte: MSN)

segunda-feira, 10 de março de 2014

Cinco lições da vitória dos garis cariocas


Lixo na rua é algo eloquente, simples e fácil de entender. A mobilização dos garis cariocas por melhores salários, benefícios e condições de trabalho trouxeram várias lições.

Publico abaixo cinco delas apontadas com felicidade e precisão por um cara que entende de mobilização e cidadania, Caetano Scannavino- jornalista e fundador da ONG Saúde & Alegria.

Apenas acrescento uma observação extra: como a gente produz e joga lixo na rua! Que vergonha, hein pessoal?


..::..

CINCO LIÇÕES DA VITÓRIA DOS GARIS
Caetano Scannavino, fundador do Saude & Alegria


1) Fez cair a ficha da sociedade do quanto são importantes. Fazem o que ninguém quer fazer, e vão além fazendo o que o “cidadão” deixa de fazer. Justo que sejam bem remunerados e valorizados (em alguns países, são chamados de agentes ambientais). #VitoriadosGaris


2) Que pelego não tem mais vez. Sindicatos que não atuarem no cumprimento da missão pela qual foram criados serão engolidos nesses novos tempos. #Vergonha


3) Que nem tudo que vemos na mídia é. Fere nossa inteligência o destaque de que a tal greve era de uma minoria de 300, tendo uma cidade inteira emporcalhada e que até então era cuidada por 15 mil garis. #SeLiga


4) Que greve é greve. Quando a classe está unida, sabe o que quer, é um instrumento poderoso mesmo com muitos “poderosos” contra. #FicaDica para as categorias de trabalhadores ainda pouco organizadas.


5) Que Era da Comunicação = diálogo. Alguém eleito pelo povo é empregado dele (não o patrão). #FicaDica pro Prefeito Eduardo Paes e outras categorias de políticos.


#ObrigadoGaris!


(Fonte: BlogdoTas)

sábado, 8 de março de 2014

"Viva a zona brasileira" Diz revista francesa

Matéria revela que Mundial tem todos os ingredientes "para se tornar uma zona"

Franceses criticaram duramente a preparação do Brasil para Copa  
Reprodução/ So Foot

Ao que parece, a França não está acreditando na competência brasileira, no que diz respeito aos preparativos para a Copa do Mundo de 2014. Após uma falsa matéria criticando o Mundial, atribuída a um importante veículo francês, ter circulado pela internet, agora uma reportagem real é para lá de incisiva nas críticas com relação a Copa.

O site da revista francesa So Foot, publicou nesta semana uma matéria intitulada: Vive Le Bordel Brésilien! (Viva a zona brasileira - em tradução livre). A palavra bordel, também utilizada em português, é empregada em francês para designar tanto uma casa de prostituição, quanto para dar significado de algo confuso ou bagunçado.

O texto do site francês apresenta uma divisão das cidades-sede da Copa em em três grupos: as que realmente deveriam estar sediando a Copa, as em que "inevitavelmente o Mundial será uma bagunça" e aquelas onde "o melhor mesmo é ver os jogos pela televisão"

No primeiro time: Belo Horizonte, Brasília, Fortaleza e Porto Alegre. Nessas cidades, a revista identifica problemas menores, que não teriam grande impacto para a realização do torneio, como a falta de conexão com a internet e problemas no telão do estádio Beira-Rio.

Já para o segundo grupo, que inclui Rio de Janeiro, Salvador, São Paulo, Recife e Natal as críticas são severas, principalmente no que diz respeito a mobilidade urbana e a capacidade de receber turistas. São Paulo, por exemplo, é descrita como "cidade irmã da Cidade do México e prima do Cairo, centros urbanos conhecidos mundialmente pelo trânsito caótico". Já o Aeroporto do Galeão, no Rio, aparece como "indigno de uma capital turística: com edifícios degradados, pistas saturadas em alta estação e paralisação em atividades em cada chuva forte, promete grandes doses de diversão [durante a Copa]".

Por fim, no terceiro grupo, estão as cidades de Cuiabá, Manaus e Curitiba. A capital do Paraná é descrita como "grande emoção pré-Mundial", referindo-se a dúvida sobre o estádio estar ou não pronto a tempo da Copa. Já para a capital do Mato Grosso, o aeroporto é descrito como 'um campo de barro. Apesar de ser do tamanho de uma cozinha, há um lindo papagaio pintado na parede. Nenhuma grande nação vai jogar em Cuiabá. Depois dizem que o sorteio é aleatório".

Além de "descer a lenha", na infraestrutura das 12 cidades-sede brasileiras, a matéria também critica duramente a Fifa e seu presidente, Joseph Blatter, pela escolha do Brasil como sede da competição: "Blatter se mostra chocado: 'Nenhum país teve tanto tempo para se preparar quanto o Brasil', e ele tem razão. Errado ele estava em 2007 [quando o Brasil foi escolhido como sede], ao impor ao país um "padrão" que estava distante demais de sua realidade, e que culturalmente não sabe dizer não. Mas sabe dizer, quando já tarde demais, "desculpe, mas temos que fazer alguns arranjos".
 (Fonte: esportes.r7)
(Original: SoFoot)

Jornal espanhol detona o Brasil e diz que estádio da Copa está entre favelas



Duas semanas após a presidente da República, Dilma Rousseff, ter inaugurado oficialmente o Beira-Rio, o jornal espanhol ‘Sport’ publicou nesta sexta-feira um artigo criticando o atraso nas obras dos estádios Internacional, que irá receber cinco jogos da Copa do Mundo.

O texto afirma que “o Brasil não é só alegria e Carnaval”. “Hoje, o Brasil mostra a sua cara desenhado entre ruas escuras e maltratadas, rodeado em uma combinação de edifícios de luxo e vilas repletas de favelas”, diz parte do artigo.

A moderníssima Arena do Grêmio não passou batida. O diário catalão afirma que a nova casa do Tricolor Gaúcho também foi erguida entre cortiços e ruínas.

Artigo publicado pelo jornal ‘Sport’ faz duras críticas ao Beira-Rio

A publicação também recorda o alto índice de pobreza e insegurança que assola o Brasil. Os problemas de logística, infraestrutura e as estruturas temporárias do Beira-Rio também foram lembrados.

A reforma do Beira-Rio, que deveria ter sido finalizada há um ano, durou cerca de 24 meses e custou R$ 330 milhões, sendo R$ 275 milhões de financiamento federal. O estádio colorado será palco de cinco partidas do Mundial de 2014: França x Honduras (no dia 15 de junho), Austrália x Holanda (18/06), Coreia do Sul x Argélia (22/06), Nigéria x Argentina (25/06), além de uma oitavas de final (30/06).
(Fonte: Torcedores.com)

segunda-feira, 3 de março de 2014

Prefeitura compra 1 tonelada de colorau para merenda escolar

O tempero não possui valor nutritivo, usado apenas como condimento para alimentos, por isso a transação foi considerada ilegal e exorbitante pelos vereadores

  (FOTO: Divulgação)  
A compra do produto foi no total de R$ 5.100
Vereadores do município de Santana do Cariri – a 559 quilômetros de Fortaleza – denunciaram a compra realizada pela prefeitura da cidade de mais de 1 tonelada de colorau, para utilização na merenda escolar. Ele não possui valor nutritivo, sendo usado apenas como condimento para os alimentos.

Segundo a vereadora Gilvaneide Sisnando (PR), o colorau foi adquirido em dezembro de 2013 pela secretaria de Educação do Município, custando R$ 5.100. A compra foi feita após o encerramento do ano letivo para ser distribuída entre as 18 escolas e creches que compõem a rede municipal de ensino. Acompanhada dos veredores Arclébio Dias (PSD) e Vicente Brilhante (PSD), a parlamentar garante já ter em mãos depoimentos de agricultores que venderam a mercadoria.

A compra – feita por meio do sistema Compra Direta, programa do Governo Federal – deveria privilegiar a produção local para fortalecer a agricultura familiar. De acordo com os vereadores, os produtores admitiram ter incluído o colorau na nota mesmo sem a produção, a pedido da Secretaria de Educação. Além disso, Santana do Cariri não possui tradição no plantio de urucu, matéria prima na produção do colorau. A transação foi considerada ilegal e exorbitante pelos vereadores.

Os vereadores prometeram informar a situação ao Tribunal de Contas da União, ao Ministério Público Federal e à Polícia Federal para que sejam tomadas as devidas providências. A secretária de Educação, Ana Maria Sisnando de Melo, foi afastada do cargo. Em resposta, o secretário adjunto de Educação de Santana do Cariri, Jeferson Feitosa, considerou as denúncias sem fundamento. Segundo disse, a mercadoria foi adquirida com orientação da nutricionista da Secretaria, Maria Luiza dos Santos.

Alho, batata e material de limpeza

Com o objetivo de verificar denúncias das supostas irregularidades, o Tribunal de Contas dos Municípios do Ceará (TCM) iniciou nesta terça-feira (25) inspeção especial na cidade. Além da grande quantidade de colorau, o TCM também pretende verificar denúncias na aquisição de grandes lotes de produtos como batata inglesa, alho e ainda material de limpeza, além da locação de veículos, realizadas em 2013.

Equipes técnicas, que já se encontravam na região fazendo inspeção ordinária em algumas cidades, foram deslocadas para Santana do Cariri, com previsão de permanência até sexta-feira.

Em levantamento preliminar, o TCM constatou que, no ano passado, o Fundo Municipal de Educação da Prefeitura de Santana do Cariri adquiriu 1,087 tonelada de colorau, 1,699 tonelada de batata inglesa e 790,22 kg de alho para atendimento do programa de merenda escolar. Caso sejam constatadas irregularidades no curso da inspeção especial o TCM informou que fará a instauração imediata de processo de provocação para apurar responsabilidades.
                                                                         (FOTO: Divulgação)  
Após a denúncia, a secretária de Educação do município foi afastada do cargo

(Fonte: UOL)

domingo, 2 de março de 2014

Senadores dispostos a debater a regulação do uso da maconha

Projeto de iniciativa popular está na Comissão de Direitos Humanos, mas votação este ano já foi descartada


O senador Cristovam Buarque André Coelho / André Coelho

BRASÍLIA O Congresso Nacional vai mesmo abraçar o debate e a votação de uma lei que regulamente o uso recreativo e medicinal da maconha no Brasil? O tema é tabu, provoca desconforto quando é abordado, mas os senadores, provocados por proposta de iniciativa popular, mostraram-se dispostos a abrir espaço para que o debate seja feito. A votação ainda este ano, no entanto, é descartada já de cara.

Cautelosa, a presidente da Comissão de Direitos Humanos, senadora Ana Rita (PT-ES), onde a proposta está em debate, diz que há outras prioridades. Para Ana Rita, que afirmou não ter posição sobre a ideia de regulação do uso da maconha, uma tramitação mais ágil no Senado dependerá da pressão da sociedade:

— Não será votado este ano, temos uma agenda espremida pela eleição. Mas o Senado tem que ter a capacidade de abrir o debate sem juízo de valor, ouvindo todos os setores.

Ex-ministro da Saúde e médico, o senador Humberto Costa (PT-PE) diz que o tema precisa ser tratado do ponto de vista de uma questão de saúde e do combate à violência. Costa diz que já teve posição a favor da descriminalização de drogas leves como a maconha, mas que hoje tem dúvidas. Enfatiza que, embora a maconha seja considerada um mal menor que o cigarro e a bebida, estudos mostram que pode levar à dependência. Do ponto de vista da violência, diz o senador petista, é preciso considerar experiência em locais que adotaram a regra, como o Uruguai:

— Não tenho posição preestabelecida e esse não é um tema a ser votado de afogadilho. Mas o debate e a discussão sobre a experiência no Uruguai e em outros locais devem ser enfrentados.

Relator do projeto, o senador Cristovam Buarque (PDT-DF) prepara uma série de audiências que incluirá representantes do Ministério da Justiça, da polícia, especialistas da área de saúde, sociólogos e pessoas que defendem a regulação. Tentará levar até o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso — que vem defendendo a descriminalização e regulação legal da maconha. Cristovam diz que ainda é cedo para falar em votação, mas pretende apresentar seu parecer até o final deste semestre:

— Não temos ainda o que votar, não há nem projeto. É uma sugestão que vamos analisar e ver se justifica fazer um projeto. Levarei em conta, por exemplo, se isso será porta de entrada para outras drogas. Existem benefícios medicinais? Pode diminuir o tráfico de drogas?

O relator já tem recebido muitos e-mails dos que defendem e de pessoas que são contra:

— Não tenho preconceito nem contra nem a favor. Mas, em relação à sociedade, a maioria dos muito e-mails que recebo são favoráveis. Tem mais gente a favor, talvez por ser pelo meio eletrônico, gente mais jovem.

Também integrante da comissão, o senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES) avisa que é contra por entender que isso não resolverá os problemas de violência:

— Embora eu tenha juízo firmado, sou contra a ideia, não podemos renunciar ao debate.

Outro que assume posição contra a ideia é o líder do PSDB no Senado, Aloysio Nunes Ferreira (SP):

— É polêmico, mas as polêmicas têm que ser enfrentadas. Agora, eu sou contra.

Com a experiência de quem já esteve “do outro lado do balcão”, como faz questão de admitir, o senador Magno Malta (PR-ES) diz que só vota para aprovar a “legalização” da maconha quem nunca viu a dor ou as lágrimas de uma mãe diante do drama de um filho drogado. O senador capixaba, que é evangélico, conta que aos 17 anos começou a usar a droga, mas foi acolhido por um tio pastor que conseguiu tirá-lo desse caminho. Com cartazes contra drogas estampados em seu gabinete, diz que está preparado para o debate:

— Conheci a maconha na minha adolescência e pude sentir na pele o mal que fez a mim e à minha família. Conheço, na prática, o outro lado do balcão. Serei um arauto da sociedade no Congresso contra a aprovação. E não será aprovado. Não há clima no Brasil para isso. Com suas fronteiras abertas a todo tipo de tráfico, vamos virar o país da contravenção.

A proposta foi protocolada virtualmente no dia 30 de janeiro por André de Oliveira Kiepper, de 32 anos, morador do Rio, no “Portal e-Cidadania”. Em oito dias, a proposta obteve o apoio de mais de 20 mil pessoas, número que assegura o envio da sugestão para a análise da Comissão de Direitos Humanos do Senado. A expectativa de André Kiepper que o governo e o Congresso estudem os modelos de regulação do uso da maconha para fins recreativos, terapêuticos e industrial adotados em outros países, como Estados Unidos, Uruguai e Israel, e tentem adaptá-lo ao Brasil.

— Não podemos deixar que o debate não seja bem feito por causa de segmentos da sociedade que não estudam os modelos. Os políticos precisam ouvir as pesquisas. As decisões políticas não podem ser fundadas em preconceito e inverdades — disse André: — No momento em que os projetos são tornados públicos, há debate e as resistências vão diminuindo.

Os senadores, à exceção de Magno Malta, negaram que já tenham feito uso da maconha. Humberto Costa disse que bebe, já fumou cigarro, mas não maconha. Ana Rita respondeu:

— Não tive essa convivência na minha juventude.

Ferraço também nega ter experimentado, mas disse que conviveu com pessoas que usavam e, para ele “não é um bicho papão”. Cristovam Buarque também nega ter usado, mas afirma que isso não irá atrapalhar na elaboração do parecer:

— Nunca tive oportunidade de experimentar.

Colaborou: Maria Lima
(Fonte: O Globo

Opinião do Blog:
A maconha com o tempo de uso vai apagando os neurônios de quem a consome. É burrice levar esse projeto adiante, porque ele estará contribuindo para se criar uma sociedade apagada, sem rumo, sem sonhos, sem pensar... Estaremos construíndo uma sociedade sem cérebros, com um ônus muito maior para a Previdência Social. Quem pensa que o projeto vai diminuir a violência do tráfico, é deveras ingênuo. Esse debate já era para ter encerrado há muito tempo! Mas volta à cena agora na boca do senador C.Buarque.


sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Cubanos do Mais Médicos terão salário aumentado para US$ 1.245 no Brasil

Aumento chega após ser divulgado, no mês passado, que profissionais da ilha recebiam o equivalente a US$ 400 no programa


BRASÍLIA - Depois das críticas recebidas no último mês, quando veio à tona que cubanos do Mais Médicos recebiam no Brasil o equivalente a US$ 400, o Ministério da Saúde anunciou uma mudança na lógica dos repasses e um aumento real de US$ 245 no salários desses profissionais. A partir de março, eles passam a receber um total de US$ 1.245, conforme o Estado adiantou. Para atingir esse valor, os US$ 600 que antes eram depositados em Cuba passarão a ser fornecidos diretamente para os profissionais aqui no Brasil.

Veja também:
Cubanos podem anular contrato, dizem juristas
Contra críticas e deserções, Brasil quer convencer Cuba a pagar mais a médicos

O ministro da Saúde, Arthur Chioro, afirmou que a medida já vinha sendo estudada pelo Ministério há alguns meses, mas não informou quando. Segundo ele, a mudança foi um pedido da presidente Dilma Rousseff.

A alteração é fruto de uma negociação da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) com o governo cubano. O gasto do Brasil com esses médicos permanece o mesmo, ou seja, o País continuará a repassar para a Opas o valor de R$ 10 mil por médico integrante do programa.
(Fonte: Estadão)

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Polícia Federal compra 36 blindados para a Copa

Frota especial de veículos será usada na segurança de autoridades estrangeiras e nacionais


por Fausto Macedo

A Polícia Federal adquiriu 36 veículos blindados modelo Mitsubishi Pajero Full que serão usados na segurança de autoridades estrangeiras e nacionais. O objetivo da PF é distribuir a frota especial, inicialmente, para as 12 cidades-sede da Copa do Mundo.

Depois, os carros serão enviados para as cidades onde a PF mais atua na área de segurança e escolta de dignitários. Os blindados vão custar R$ 8,8 milhões e serão recebidos gradativamente, a partir de abril, conforme cronograma de entrega aprovado pela instituição.

A blindagem dos novos veículos SUV (Sport Utility Vehicle) da Polícia Federal, com alto padrão de segurança e conforto, é nível A3, que suporta tiros calibres 22, 38, 9 milímetros e Magnum 357 e 44.

A compra dos blindados faz parte de uma intensa programação da PF, envolvida no planejamento das ações de segurança para os Grandes Eventos, com especial atenção para a Copa do Mundo/2014. Desde 2011, destaca a PF, foram investidos mais de R$ 400 milhões, dos quais R$ 90 milhões estritamente em equipamentos e capacitação para os Grandes Eventos.

Foram adquiridos viaturas, armamento menos letal, embarcações, coletes balísticos, equipamentos para os grupos de operações especiais e para os grupos de bombas e explosivos, soluções de tecnologia da informação – inclusive para investigação de crimes cibernéticos – e identificação de vítimas de desastres e estruturação do Centro de Cooperação Policial Internacional.
(Foto: Divulgação)  
Blindados de alto padrão para o
Mundial começam a chegar em abril.
Mais de 1200 servidores foram capacitados em diversas áreas de atuação, como segurança de dignitários, polícia marítima, segurança cibernética, gerenciamento e negociação de crises, vistorias e contramedidas, sem contar os diversos treinamentos realizados em eventos-teste, exercícios, simulados e no período pré-operacional aos eventos dos quais a PF participou.

Indagada pela reportagem do Estado se está preparada para cumprir sua missão na Copa do Mundo e na Olimpíada 2016, a Direção Geral da Polícia Federal – a cargo do delegado Leandro Daiello –, divulgou nota em que revela detalhes de seu planejamento para os Grandes Eventos.

Confira abaixo a íntegra da nota:

A Polícia Federal está preparada para atuar na Copa do Mundo de 2014 nas atribuições inerentes à instituição. Isso decorre do planejamento das ações de segurança para os Grandes Eventos instituído desde dezembro de 2009, quando foi criado grupo de trabalho interno para estudar o tema.

Além de integrar a Comissão Especial de Segurança Pública para Grandes Eventos e manter forte interlocução com a Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos (SESGE) que, aliás, é chefiada por servidor da instituição desde sua criação em 2011, a PF atuou de forma decisiva nas ações de segurança dos Jogos Militares, do sorteio das eliminatórias da Copa do Mundo de 2014, da Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável – Rio+20, do sorteio da Copa das Confederações, da Copa das Confederações e da Jornada Mundial da Juventude.

Desde 2011, foram investidos na PF mais de R$ 400 milhões, dos quais R$ 90 milhões estritamente em equipamentos e capacitação para os Grandes Eventos. Esse investimento permitiu a aquisição de viaturas, inclusive blindadas, embarcações, armamento menos letal, coletes balísticos, equipamentos para os grupos de operações especiais, para os grupos de bombas e explosivos, soluções de tecnologia da informação, inclusive para investigação de crimes cibernéticos e identificação de vítimas de desastre, e estruturação do Centro de Cooperação Policial Internacional.

Mais de 1200 servidores foram capacitados em diversas áreas de atuação, tais como segurança de dignitários, polícia marítima, segurança cibernética, identificação de vítimas de desastre, gerenciamento e negociação de crises, vistorias e contramedidas, sem contar os diversos treinamentos realizados em eventos-teste, exercícios, simulados e no período pré-operacional aos eventos dos quais a PF participou;

Quanto ao orçamento destinado ao órgão, a PF apresenta anualmente crescimento em sua execução orçamentária, superando os índices oficiais de inflação do período. Aos números: mais de R$ 852 milhões em 2010, R$ 903 milhões em 2011, R$ 961 milhões em 2012 e R$ 1,026 bilhão em 2013;

A PF dispõe de duas unidades de VANT (Veículo Aéreo Não Tripulado) operando regularmente, especialmente nas fronteiras brasileiras.

A PF realizou a maior compra de sua história em coletes balísticos destinados a segurança dos seus servidores: 11.200. Da mesma forma, foram adquiridas 600 armas longas destinadas ao Comando de Operação Táticas, Grupos de Pronta Intervenção e Núcleos Especiais de Polícia Marítima, 800 armas não letais para controle de distúrbios, 1.450 viaturas, 18 equipamentos de raio X, 15 robôs anti-bombas, 111 binóculos de detectores de visão noturna, 180 designadores laser infravermelho, 20 cães farejadores, 17 lanchas, 6 scanners corporais para aeroportos, 1 aeronave de grande porte, entre outros investimentos.

A PF inaugurou novas edificações em diversas localidades, tais como as novas Superintendências Regionais no Acre e em Roraima, as novas delegacias de Presidente Prudente/SP, Santa Cruz do Sul/RS, Campina Grande/PB e Guaíra/PR. Em breve, serão inaugurados os novos prédios referentes à Superintendência no Amapá e à Delegacia em Cáceres/MT.

Foi realizado concurso para o preenchimento de 1.200 vagas de policiais. Outro concurso para mais 600 policiais está em avançado estágio de autorização pelo Governo Federal. A prova para mais de 500 agentes administrativos ocorreu no início de fevereiro.

Os resultados dos investimentos realizados pela gestão atual são evidentes com o recorde de operações policiais especiais deflagradas pelo órgão: 246 em 2011; 289 em 2012; e 296 em 2013. A quantidade de drogas apreendida pela instituição também alcançou números históricos: no ano passado, 256 toneladas de drogas saíram das ruas pela atuação da PF. A marca de passaporte emitidos em 2013 também foi recorde: 2,1 milhões de pessoas foram atendidas pelas unidades da instituição e receberam novos documentos de viagem, número superior ao de uma metrópole do tamanho de Manaus/AM.
(Fonte: Estadão)

Petrobrás também bancou evento do MST

Como BNDES e Caixa, estatal contratou sem licitação e liberou R$ 650 mil para associação ligada ao movimento; Incra gastou com estrutura 


BRASÍLIA - A Petrobrás fechou um contrato de patrocínio, sem licitação, com entidade ligada ao Movimento dos Sem Terra (MST) para evento realizado no 6.º Congresso Nacional do MST, realizado há duas semanas em Brasília. A estatal confirmou ter contribuído com R$ 650 mil.

Veja também:
Incra gasta R$ 448 mil em evento no Congresso do MST
BNDES liberou R$ 350 mil a evento do MST sem licitação


O congresso do movimento culminou com uma tentativa de invasão do Supremo Tribunal Federal e um quebra-quebra na Praça dos Três Poderes que deixou 32 feridos, sendo 30 policiais. O Estado já tinha revelado que a Caixa Econômica Federal e o BNDES colaboraram com um total de R$ 550 mil para o evento, por meio de patrocínios para a Associação Brasil Popular (Abrapo).

A Abrapo recebeu os patrocínios para a Mostra Nacional de Cultura Camponesa, atividade que serviu como ponto de encontro para os integrantes do congresso do MST. Ao todo, foi gasto cerca de R$ 1,6 milhão em recursos públicos e de empresas com economia mista.

O Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) desembolsou R$ 448 mil para a montagem da estrutura da Feira Nacional da Reforma Agrária, outra atividade ligada ao Congresso.

A Abrapo e o MST têm relação próxima. A conta corrente da associação no Banco do Brasil aparece no site do movimento como destino de depósito para quem deseja assinar publicações como o jornal Sem Terra.

A Petrobrás diz que os R$ 650 mil foram destinados porque a Mostra "alinha-se ao programa Petrobrás Socioambiental na linha dedicada à produção inclusiva e sustentável".

Além do patrocínio para o evento, a estatal informou ainda que planeja bancar uma outra iniciativa da Abrapo, "para a produção e lançamento de CD, DVD e caderno de canções infantis no meio rural, como estímulo à preservação e difusão da cultura tradicional e popular brasileira". Este contrato tem valor de R$ 199 mil.

Ressarcimento. A Frente Parlamentar da Agropecuária pediu ao Ministério Público que investigue os patrocínios e peça ressarcimento aos cofres públicos em caso de irregularidade. A bancada ruralista quer também aprovar um requerimento para convocar o secretário-geral da Presidência, Gilberto Carvalho, para depor na Comissão de Agricultura da Câmara. A Caixa, que patrocinou a Mostra com R$ 200 mil, e o BNDES, que destinou R$ 350 mil, alegam que havia motivos comerciais para fazer o patrocínio. Os contratos foram assinados sem licitação. O Incra afirma não ter repassado recursos à Abrapo, sendo responsável apenas pela montagem da estrutura física do evento e pela infraestrutura de transporte de mercadorias dos produtores selecionados.
 (Fonte: Estadão)

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

BNDES deu R$ 350 mil para evento do MST

Caixa também liberou R$ 200 mil para Mostra de Cultura Camponesa; congresso nacional da entidade teve passeata que terminou em tumulto 

BRASÍLIA - A Caixa Econômica Federal e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) fecharam contratos sem licitação de R$ 200 mil e R$ 350 mil, respectivamente, com entidade ligada ao Movimento dos Sem Terra para evento realizado no 6.º Congresso Nacional do MST. O evento, há duas semanas, terminou em conflito com a Polícia Militar na Praça dos Três Poderes que deixou 32 feridos, sendo 30 policiais. Houve, ainda, uma tentativa de invasão do Supremo Tribunal Federal.

Veja também:
Evento 'valoriza população campesina', afirma Caixa
Espaço usado pelo evento foi 'isento de taxa de ocupação'
Ex-líder do MST lança frente e promete carnaval vermelho


A Associação Brasil Popular (Abrapo) recebeu os recursos para a Mostra Nacional de Cultura Camponesa, atividade que serviu de centro de gravidade para os integrantes do congresso do MST. As entidades têm relação próxima, tanto que a conta corrente da Abrapo no Banco do Brasil aparece no site do MST como destino de depósito para quem deseja assinar publicações do movimento social, como o jornal Sem Terra.

O contrato de patrocínio da Caixa, no valor de R$ 200 mil, está publicado no Diário Oficial da União de 3 de fevereiro de 2014. Foi firmado pela Gerência de Marketing de Brasília por meio de contratação direta, sem licitação. A oficialização do acordo do BNDES com a mesma entidade foi publicada três dias depois. O montante é de até R$ 350 mil. A contratação também ocorreu sem exigência de licitação e foi assinada pela chefia de gabinete da presidência do banco de fomento.

A Mostra Nacional de Cultura Camponesa, objeto dos patrocínios, ocorreu na área externa do ginásio Nilson Nelson, em Brasília. O congresso teve suas plenárias na área interna. Os dois eventos tiveram divulgação conjunta e o objetivo da mostra era mostrar os diferentes produtos cultivados pelos trabalhadores rurais em assentamentos dentro de um discurso do MST da valorização da reforma agrária.

Marcha. O congresso foi realizado de 10 a 14 de fevereiro e reuniu 15 mil pessoas. No dia 12, uma marcha organizada pelo movimento saiu do ginásio e percorreu cerca de cinco quilômetros até a Esplanada dos Ministérios. O objetivo declarado era a entrega de uma carta ao secretário-geral da Presidência, Gilberto Carvalho, com compromissos não cumpridos pela presidente Dilma Rousseff na área da reforma agrária.

No decorrer da passeata, o grupo de sem-terra integrou-se a petistas acampados em frente ao STF desde as prisões do mensalão, ameaçando invadir a Corte. Na presidência dos trabalhos, o ministro Ricardo Lewandowski suspendeu a sessão que ocorria no momento.

Um cordão de isolamento feito por policiais e seguranças da Corte impediu os manifestantes de avançar em direção ao Supremo. Eles então se dirigiram ao outro lado da Praça dos Três Poderes, rumo ao Palácio do Planalto. Quando os sem-terra romperam as grades colocadas na Praça o conflito começou.

Manifestantes atiravam cruzes que faziam parte da marcha, pedras e rojões contra a polícia, que usou bombas de efeito moral, gás lacrimogêneo e balas de borracha contra os militantes. Ao todo, 30 policiais e dois manifestantes ficaram feridos. No dia seguinte ao conflito, a presidente Dilma Rousseff recebeu líderes do movimento para debater a pauta de reivindicações, atitude que sofreu críticas de parlamentares da oposição e ligados ao agronegócio.
(Fonte: Estadão)

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Contas externas têm em janeiro rombo recorde de US$ 11,6 bilhões

No último mês, investimento estrangeiro direto no Brasil foi de US$ 5,1 bilhões, o equivalente a somente 44% do déficit



BRASÍLIA - O déficit em transações correntes do Brasil somou US$ 11,6 bilhões em janeiro, divulgou o Banco Central nesta sexta-feira. 21. É o recorde para o mês. Enquanto isso, o investimento estrangeiro direto (IED) somou US$ 5,1 bilhões - e cobriu apenas 44% do rombo das contas externas.

De acordo com o chefe do Departamento Econômico do BC, Tulio Maciel, o resultado está dentro do que se esperava. Para o acumulado deste ano, o BC projeta déficit de US$ 78 bilhões. Se concretizado, será menor do que o verificado no acumulado no último ano (US$ 81,374 bilhões).

Em 12 meses, o IED do Brasil soma US$ 65,4 bilhões, equivalentes a 2,94% do PIB (produção de bens e serviços da economia). O rombo das transações correntes está em US$ 81,6 bilhões ou 3,67% do PIB. No período, o IED cobre 80% do déficit das contas externas.

Serviços. Tulio Maciel destacou a queda do déficit na conta de serviços em janeiro deste ano na comparação com o mesmo do ano passado. O fato se deve, segundo o economista, à variação cambial.

O aumento do dólar influenciou a retração nos gastos dos brasileiros no exterior na comparação entre janeiro do ano passado e janeiro deste ano. Em 2013, a conta de serviços ficou negativa em US$ 47,523 bilhões, 17% a mais do que o déficit do ano anterior.

Segundo Maciel, essa expansão, que já foi da ordem de 20%, começa a se moderar. Os brasileiros gastaram US$ 2,120 bilhões no exterior no mês passado, ante US$ 2,299 bilhões em janeiro de 2013.

Argentina. De acordo com Maciel, a situação da economia argentina tem "influência importante em termos de fluxo de comércio" para o Brasil. "A Argentina tomou medidas importantes para equilibrar seus fluxos de comércio e isso tende a repercutir principalmente nas nossas exportações", avaliou.

Lucros e dividendos. O saldo de remessas de lucros e dividendos ficou negativo em US$ 2,499 bilhões em janeiro. As receitas (US$ 22 milhões) ficaram abaixo das remessas (US$ 2,521 bilhões) no mês passado. No mesmo período de 2013, o resultado foi uma saída líquida de US$ 2,068 bilhões.

O BC informou ainda que as despesas líquidas com juros externos somaram US$ 1,877 bilhão em janeiro. Em janeiro de 2012, o gasto com juros totalizara US$ 1,813 bilhão.

(Fonte: Estadão)

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Cenários mudam onde Dilma venceu com folga em 2010

Presidente enfrenta ambiente incerto em Minas, Pernambuco, Ceará, Rio, Bahia e Maranhão, que lhe deram vantagem de 11 milhões de votos em 2010



Ricardo Brito, Daiene Cardoso / BRASÍLIA - O Estado de S.Paulo
O cenário favorável que a presidente Dilma Rousseff teve na eleição de 2010 em seis Estados - onde sua vantagem sobre o rival José Serra (PSDB) no 1º turno superou um milhão de votos - dificilmente se repetirá na sua tentativa de reeleição em outubro. Além de Minas Gerais e Pernambuco, onde os prováveis candidatos Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB) certamente terão votações expressivas, outros Estados, como Bahia, Ceará, Rio e Maranhão apresentam hoje um quadro bastante diverso do que existia quatro anos atrás.

Em 2010, a Bahia deu 2,7 milhões de votos de vantagem a Dilma. No Ceará, ela conseguiu outros 2,1 milhões. Pernambuco (1,97 milhão), Minas Gerais (1,75 milhão), Maranhão (1,63 milhão) e Rio de Janeiro (1 milhão) completaram o quadro, garantindo-lhe folga de 11,27 milhões de votos sobre o rival. Além disso, aliados de Serra acusaram Aécio - que era candidato ao Senado - de não se empenhar por ele na briga presidencial no Estado. E Campos apoiou o PT em Pernambuco.

PMDB. Nos outros quatro Estados, o principal problema hoje é a proximidade cada vez maior do PMDB com o PSDB. Na Bahia, a legenda articula uma frente de oposição a Dilma que inclui o DEM. Além disso, o PSB de Campos terá candidatura própria entre os baianos.

No Rio, Sérgio Cabral (PMDB) deu palanque a Dilma em 2010 mas este ano, sem o mesmo prestígio da época, tenta fazer seu sucessor - e, diante da candidatura de Lindhberg Faria (PT), avança nas conversas com o PSDB.

O mesmo ocorre no Ceará, onde o líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira quer ser candidato ao governo mas sente-se preterido pelo PT. Assim, tenta também uma aliança ao menos informal com o PSDB de Tasso Jereissati.

No Maranhão, o PT tenta não melindrar o clã Sarney, que ainda está sem um nome forte para disputar a sucessão da governadora Roseana Sarney (PMDB). Mas o diretório regional do PT deve vetar uma aliança com o PMDB.

Em 2010, a eleição foi ao segundo turno e Dilma venceu por 46,9% dos votos válidos, contra 32,6% de Serra. Para este ano, o ideal para o PT seria liquidar a fatura no 1º turno. O próprio partido avalia que, no 2º, o cenário é menos seguro.
(Fonte: Estadão)

'Tentam usar morte de cinegrafista para asfixiar protestos', diz Marcelo Freixo

Deputado estadual do PSOL diz ser vítima da 'maior inconsequência' da imprensa ao ver seu nome envolvido no episódio e critica lei antiterrorismo


Possível postulante ao Senado este ano, principal puxador de votos de seu partido na campanha estadual e provável candidato a prefeito do Rio de Janeiro em dois anos, Marcelo Freixo (PSOL) corre para salvar sua reputação, colocada em xeque pelo advogado Jonas Tadeu Nunes, defensor de Caio de Souza e Fábio Raposo (ambos com 22 anos), acusados pelo disparo de um rojão na quinta-feira da semana passada que atingiu o cinegrafista da TV Bandeirantes Santiago Ilidio Andrade (49), morto quatro dias depois.

MP recebe inquérito sobre morte do cinegrafista Santiago Andrade


Freixo conversou com Sininho duas vezes: "Primeiro quando foi ameaçada por milícias e agora, na prisão de Raposo. Ela disse que o rapaz poderia ser torturado na prisão"

Em tom de desabafo, o deputado acredita ser vítima “da maior irresponsabilidade da imprensa em anos”, lembrou que sua mulher, jornalista, conheceu Santiago e que o mais “preocupante” nessa história é que governos estariam se aproveitando do episódio para aprovar leis que asfixiem de vez os protestos no Brasil.

“Esse advogado diz que recebeu telefonema de uma ativista me relacionando ao acusado e essa é a base de uma denúncia propagada pela imprensa que me associa a um homicídio. É uma das maiores inconsequências que o jornalismo brasileiro já produziu, uma aberração”, afirmou.

Mais: Manifestações de rua são herança das Diretas, diz Simon

A ativista a que ele se refere é Elisa Quadros, conhecida como Sininho, apontada como responsável pelas finanças do black bloc carioca. “Ela me procurou duas vezes. Primeiro quando foi ameaçada por milícias no ano passado e agora, na prisão de Raposo. Ela disse que o rapaz poderia ser torturado na prisão, o que não parece razoável.”

Casado com uma jornalista, Freixo garantiu que a mulher chegou a conhecer Santiago e que o filho sofre com as acusações. “Eu estou no olho do furacão, mas não é a minha eleição que preocupa. É a minha história, que não começa nem termina no parlamento.”

Partidos Políticos

Diante da “inconsistência da acusação”, diz ele, o mesmo advogado passou a dizer que os partidos de esquerda financiam a ação dos black blocs. A afirmação de que agremiações políticas pagam até R$ 150 aos mascarados terminou com a divulgação de uma planilha administrada por Sininho com gastos de R$ 1.699,67, amealhados com a contribuição de simpatizantes, entre eles dois vereadores do PSOL, Jefferson Moura e Renato Cinco.

Assim como os parlamentares, Freixo lembrou que as doações não foram para o black bloc, mas para a realização de uma ceia de Natal para moradores de rua no dia 23 de dezembro. “Qualquer pessoa daria dinheiro para uma ceia. Na lista divulgada tem gastos com rabanada, pão, gelo... De repente isso se transforma em financiamento para black bloc?

Embora se considere alvo por se tratar “de um quadro novo na política”, o deputado denuncia o que acredita ser o principal interesse dos governos: se aproveitar de um homicídio para acabar de vez com as manifestações no Brasil.

“A intenção maior é fragilizar uma onda de protestos que pede redução da passagem, critica a corrupção e pede transparência. O que acontece é que há muito interesse de que essas reclamações não continuem.”

Membro da Comissão de Segurança Pública no Senado, o secretário de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame, chegou a ir a Brasília para entregar um projeto de lei que tipifica o crime de desordem em locais públicos. Ainda esta semana, o Senado deve votar proposta semelhante, conhecida como Lei Antiterror.

“A proposta antiterrorismo é mais retrograda que a Lei de Segurança Nacional [aprovada na ditadura militar e em vigor até hoje]. Ela quer reduzir a capacidade das manifestações. Deixá-las menos violentas é bom, mas acabar com elas é outra violência.”
(Fonte: iG)

Protestos contra o governo se intensificam nas ruas da Venezuela

Presidente Nicolás Maduro acusa a oposição de tentar derrubá-lo do poder. Protestos já duram duas semanas e vêm sendo reprimidos com violência. País enfrenta sérios problemas econômicos e grave abismo social.


Milhares de partidários do presidente Nicolás Maduro saíram às ruas do centro de Caracas para manifestar apoio ao governo neste sábado (15/02). Ao mesmo tempo, uma manifestação contra o regime reuniu cerca de 3 mil opositores, a maioria estudantes universitários, no município de Chacao, região metropolitana da capital. O protesto foi reprimido com violência pela polícia quando os manifestantes tentaram bloquear uma avenida.

Ao menos 23 pessoas ficaram feridas quando as tropas de choque usaram bombas de gás lacrimogêneo e canhões de água, na tentativa de dispersar a manifestação. A informação foi divulgada pelo prefeito de Chacao, Ramon Muchacho, na rede social Twitter.

Os manifestantes exigem a libertação de mais de cem estudantes e ativistas da oposição, além do fim da repressão policial. Choques violentos entre opositores e forças do governo, na última quarta-feira, deixaram três mortos e centenas de feridos.

Presidente Nicolás Maduro denuncia tentativa de
golpe por parte da oposição
 Protestos vêm ocorrendo com frequência cada vez maior na Venezuela, como reflexo do descontentamento de parte da população com o aumento da criminalidade, com os altos índices da inflação e da falta de produtos básicos, como papel higiênico, num país que possui uma das maiores reservas de petróleo do mundo.

Inimigos de Maduro

Maduro afirma que enfrenta uma tentativa de golpe de Estado orquestrada pelos líderes da oposição, os quais ele responsabiliza pelos enfrentamentos violentos dos últimos dias.

Em pronunciamento a milhares de apoiadores no centro de Caracas, ainda acusou o ex-presidente da Colômbia Álvaro Uribe – considerado pelo presidente venezuelano um aliado dos EUA e inimigo da Venezuela – de "financiar e dirigir" o que chamou de "movimentos fascistas", a quem atribuiu a culpa pelos recentes distúrbios.

Em resposta, Uribe anunciou que irá apoiar uma campanha para que milhares de pessoas possam expressar sua "solidariedade com o povo venezuelano" contra a "ditadura sanguinária" que os governa.

O presidente acusa um dos principais líderes da oposição, o economista Leopoldo López, de incitar os protestos com a intenção de realizar um golpe de Estado no país. No entanto, apesar do mandado de prisão contra López, ele continua solto.

Membros de seu partido, o Vontade Popular, asseguram que ele está em sua residência acompanhado de seus advogados. Especula-se que o governo estaria preocupado com uma possível intensificação dos protestos caso o economista seja realmente preso.

"Apagão de informações"

Os recentes protestos contra o governo, apoiados por uma série de grupos de oposição, já são o maior desafio de Maduro desde sua eleição, após a morte de seu antecessor, Hugo Chávez.

Na tentativa de aliviar as tensões no país, o presidente divulgou na última sexta-feira um plano de dez medidas de combate ao crime, que incluem o desarmamento da população, o aumento de patrulhas policiais e ainda "regras claras para a televisão", sem especificar quais seriam.

Os adversários de Maduro criticaram o que chamam de "apagão informativo" quanto aos protestos. A televisão e os jornais praticamente ignoraram os acontecimentos mais violentos no país. Redes de TV correm risco de ter suas transmissões interrompidas caso o governo julgue que algum conteúdo divulgado possa servir como "incentivo à violência".

As autoridades afirmaram que, das 99 pessoas detidas nos violentos protestos da última quarta-feira, apenas 12 ainda não foram liberadas, incluindo um adolescente. As manifestações, marcadas por enfrentamentos entre chavistas e opositores, deixaram um saldo de três mortos e mais de cem feridos.

O Tribunal Supremo de Justiça da Venezuela divulgou no sábado um comunicado afirmando que já trabalha para "dar início aos processos contra os responsáveis pelos atos violentos incitados pela direita venezuelana".

Graves problemas

Apesar da riqueza do petróleo, a Venezuela enfrenta graves problemas econômicos e um abismo social entre ricos e pobres de grandes proporções. O país luta contra uma inflação de mais de 50%.

As manifestações ocorrem há duas semanas consecutivas, sem perspectivas de fim. Apesar de ocuparem as principais cidades do país, não existem indicações de que os protestos poderiam forçar a renúncia de Maduro.
 (Fonte: DW)

O GOVERNO BRASILEIRO É CÚMPLICE DA VIOLÊNCIA NA VENEZUELA!

O POVO BRASILEIRO REPUDIA TOTALMENTE AS AÇÕES DO ILEGÍTIMO PRESIDENTE NICOLÁS MADURO, BEM COMO A VERGONHOSA OMISSÃO E SILÊNCIO DO NOSSO GOVERNO! #SOSVenezuela

sábado, 15 de fevereiro de 2014

Em Belo Monte, 85% das ações de proteção aos índios ainda não foram cumpridas, diz estudo

O governo federal e a empresa responsável pela construção da usina hidrelétrica de Belo Monte não estão cumprindo os compromissos que assumiram com os índios para a proteção dos territórios em que eles vivem, segundo levantamento que acaba de ser divulgado. A consequência disso é que os nove povos afetados pelas obras já se deparam com o aumento de invasões de grupos não indígenas e destruição ambiental.

De acordo com o levantamento, feito por pesquisadores do Instituto Socioambiental (ISA), de um total de 19 condicionantes definidas desde o leilão da usina em 2010 até agora, só 3 foram integralmente cumpridas. Isso equivale a 15% do total.

O ISA, que é uma organização não governamental, analisou durante um ano todas condicionantes envolvendo medidas de prevenção, mitigação e compensação de impactos relativos nas 12 terras indígenas afetadas, na região do Xingu, no Pará. Ontem, ao divulgar uma nota técnica com o resultado de sua pesquisa, observou que elas não estão sendo cumpridas e que isso, como se previa, potencializa efeitos negativos.


“O desmatamento, a ocupação ilegal e a invasão de caçadores e pescadores aumentaram nos últimos dois anos, segundo dados de monitoramento remoto das áreas e reclamações indígenas”, diz a nota.

Do conjunto de 19 compromissos, 17 já estão com os prazos vencidos. Os outros dois vencem em julho. Na média, o tempo de atraso chega a dois anos.

Os problemas se devem principalmente ao governo federal. Ele é responsável por 9 das 16 condicionantes que estão com algum tipo de pendência.

Apesar do descumprimento dos acordos, a empresa Norte Energia pretende solicitar ao Ibama a liberação da licença para operar a usina ainda no primeiro semestre deste ano, informa a nota do ISA.

Segundo Biviany Rojas, advogada da organização, as terras indígenas abrigam grandes bolsões de floresta, ricos em biodiversidade. “São áreas que sofrem imensa pressão com a chegada de grandes empreendimentos como Belo Monte. As medidas de proteção destes territórios devem ser de natureza preventiva, antes do início dos impactos previstos. Deixar as medidas de proteção e fiscalização territorial só para depois de consolidado o dano implica o risco de que elas percam sentido e efetividade”, explica.
(Fonte: Estadão)