Pesquise aqui o assunto que você procura:

sábado, 29 de junho de 2013

Governo eleva gasto com maquiagem e penteado para falas de Dilma na TV

A vaidade tem seu preço. E cada vez mais alto, por sinal, mostra a evolução dos gastos para arrumar o cabelo e maquiar a presidente Dilma Rousseff para suas aparições em rede nacional de TV.

Na sexta-feira passada, quando falou sobre as manifestações pelo país, Dilma Rousseff fez seu 14º pronunciamento desse tipo. Via Lei de Acesso à Informação, a Folha obteve os orçamentos detalhados de 12 deles.

Nos nove primeiros, preparar o visual presidencial custou R$ 400. Nos três de dezembro de 2012 a março deste ano, o governo pagou, em cada vez, R$ 3.125 -681% mais, variação de fazer corar o tomate, vilão da inflação.

Até no salão de Celso Kamura, cabeleireiro que repaginou o visual de Dilma para a campanha presidencial de 2010 e que tem entre suas clientes celebridades como a apresentadora Angélica, o serviço é mais em conta. Lá, o penteado sai por R$ 330 e a maquiagem custa R$ 350, informam as atendentes do salão. Ao todo, R$ 680.


Em Brasília, os salões mais famosos cobram pouco mais de R$ 160 pela maquiagem e na faixa de R$ 210 para arrumar o cabelo.

A Presidência explica o porquê dos gastos em alta. Em ofício, afirmou que a produção de "uma autoridade do sexo feminino" é diferente e autorizou o ajuste nos custos porque uma mulher precisa de um profissional específico e não um maquiador padrão, como era o caso do ex-presidente Lula.

As agências Propeg e Leo Burnett, responsáveis pela contratação das produtoras para as gravações, não responderam especificamente sobre a variação dos custos com a maquiagem e o cabelo de Dilma.

A Presidência informou que os valores totais dos pronunciamentos foram reajustados em 2012 porque não eram corrigidos desde 2008. Não esclareceu, contudo, por que o valor com o visual presidencial subiu tanto.

Dilma finge que ouve a voz das ruas e reúne-se com representantes de movimentos ligados ao PT

Jogo de cena – Na manhã desta sexta-feira (28), a presidente Dilma Rousseff recebeu, no Palácio do Planalto, representantes de 24 movimentos de juventude para discutir o pacto anunciado na última segunda-feira, que recebeu críticas das mais variadas.

Tentando escapar da crise política que se instalou no País por causa da incompetência do próprio governo, Dilma busca ludibriar a opinião pública com reuniões mentirosas que servem apenas e tão somente para ocupar espaço na mídia. Os participantes da reunião desta sexta-feira não representam os anseios dos que foram às ruas protestar, pois integram movimentos notadamente de esquerda e de alguma forma ligados ao Partido dos Trabalhadores, que atua nos bastidores para que a farsa seja completa.

Na sede do governo federal estiveram representantes do Conselho Nacional de Juventude (Conjure), UBES, Movimento Sem-Terra (MST), Central Única dos Trabalhadores (CUT), Marcha Mundial das Mulheres, Coordenação Nacional de Entidades Negras (Conen), Levante Popular da Juventude, Rede Fale, Hip Hop, Forum de Juventude de BH, União da Juventude Socialista (UJS), Juventude do PT (JPT), UPL, JSB, JSPDT, JPMDB, UNE, PJ, CTB, Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), Marcha das Vadias, Fora do Eixo e Agência Solano Trindade.

Dilma tem o direito de receber em palácio quem quiser, mas não pode declarar que ouviu as roucas vozes das ruas ao se reunir com uma claque obediente que chegou à sede do Executivo doutrinada. O embuste palaciano é tão vergonhoso, que a presidente deixou para a próxima semana um encontro com os representantes da oposição, como se estivesse fazendo um enorme favor.

O PT está focado na realização de um golpe para implantar no País uma ditadura socialista, algo que fica evidente com a forma com o partido vem tratando uma crise que conquistou inclusive a imprensa internacional. Fora isso, a resistência de Dilma em reconhecer o próprio fracasso só faz a crise agravar a cada dia.

A parcela de bem da sociedade precisa reagir com rapidez e contundência a essa postura do governo, que em nenhum momento se preocupou com os protestos que ecoaram nas ruas e avenidas brasileiras. O País cambaleia diante de uma crise que mescla incompetência e corrupção, mas os responsáveis preferem sair de cena ou ignorar a realidade. É preciso chamar à luz das cobranças o ex-presidente Luiz Inácio da Silva, que continua devendo muitas explicações aos brasileiros acerca dos vários escândalos que marcaram sua passagem pelo Palácio do Planalto.
(Fonte: ucho.info)

terça-feira, 25 de junho de 2013

Exame reprova 89% de médicos formados no ensino cubano

Brasília 08/05/2013)
De cada nove médicos formados em Cuba, cubanos ou não, que tentaram revalidar seu diploma no Brasil, apenas um conseguiu passar peloexame em 2012. Foram 182 inscritos no Revalida, exame pelo qual os formados no exterior precisam passar, mas apenas 20 aprovados (10,9%). Os números são do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) e foram usados ontem pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) para rechaçar medidas que facilitem a contratação de médicos formados no exterior. Na segunda-feira, o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, afirmou que o governo brasileiro poderá trazer seis mil médicos de Cuba para minimizar o déficit desses profissionais no país, principalmente nas regiões mais carentes.

Ontem, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, descartou algumas medidas, como a revalidação automática do diploma e a atração de médicos depaíses em que esses profissionais sejam mais escassos do que aqui, como é o caso da Bolívia e do Paraguai. Mas voltou a defender a vinda de médicosestrangeiros ao Brasil como forma de suprir a carência de profissionais. Segundo ele, países desenvolvidos têm políticas de atração de médicosformados no exterior - no Reino Unido, por exemplo, eles seriam 40% do total. No Brasil, disse Padilha, apenas 1% dos médicos veio de outros países.

O ministro chamou atenção em especial para Espanha e Portugal, países que passam por uma grave crise econômica, com alto desemprego, e que já estavam na mira do governo como possível fonte de médicos. Padilha disse que concorda quando o CFM prega a necessidade de ter médicos com qualidade. Mas destacou que o Brasil não pode ficar preso a tabus.

- Não vamos deixar serem transformadas em tabu, como foram transformadas ao longo dos anos, duas questões. A primeira: dizer que no Brasil há muitos médicos. Faltam médicos no Brasil e faltam mais médicos perto da população. E segundo: em outros países não é tabu ter políticas de atraçãode médicos estrangeiros, e não permitiremos que seja tabu no Brasil. Não vamos ficar assistindo a Portugal e Espanha com a taxa de desemprego que têm hoje, sem poder pensar em alternativas de trazer médicos para o Brasil - disse Padilha.

Cuba foi o segundo país com maior número de médicos formados inscritos no Revalida nos últimos dois anos, ficando atrás apenas da Bolívia. Odesempenho dos médicos formados no país vizinho foi ainda pior: de 411 que tentaram no ano passado, apenas 15 passaram, ou 3,65% do total. O presidente em exercício do CFM, Carlos Vital Tavares Corrêa Lima, atacou duramente ontem a qualidade da formação de médicos em Cuba.

- Sempre existiu e continua existindo uma propaganda falaciosa, enganosa, de caráter ideológico e político, mas totalmente inconsistente. E falamos isso não porque estamos baseados em conceitos ou informações de terceiros. O CFM esteve em Cuba em 2002 e 2003, fez toda uma avaliação, e o status quo não mudou até hoje - afirmou Vital. - Não há formação e não há Medicina no nível que está sendo propagandeado em Cuba.

Em 2012, os percentuais de aprovação no Revalida de médicos com diploma da Espanha e de Portugal também foram baixos, 19,23% e 37,5%, respectivamente. Mas, segundo o próprio CFM, não é possível fazer uma avaliação geral da qualidade dos formados nesses dois países, uma vez que o número de médicos que se submeteram ao Revalida foi baixo e, portanto, insuficiente para tirar conclusões.

A professora livre-docente da Universidade de São Paulo (USP) Laura Feuerwerker, especialista em Saúde Pública, lembra que a base do sistema deSaúde de Cuba é o serviço de atendimento primário, o que tornou o país uma das referências nessa área. Nos últimos anos, segundo ela, Portugal e Espanha também têm ganhado destaque nessa área:

- Há países no mundo que apostam na atenção primária, atenção básica, como o lugar mais importante do sistema de Saúde, que constrói um vínculo, uma relação importante com o paciente. No caso do Brasil, para a vinda de profissionais, há a questão da língua, obstáculo que pode ser superado.
(Fonte: ClippingMP)


domingo, 23 de junho de 2013

Não satisfeita com hospitais públicos, Fifa será atendida pela rede particular

Entidade acredita que rede pública não oferece um serviço minimamente decente


RIO – A Fifa e os manifestantes que tomaram as ruas brasileiras tem pelo menos um ponto em comum: ambos concordam que os hospitais públicos brasileiros não oferecem um serviço minimamente decente. Ao contrário do que ocorreu na África do Sul, quando a entidade credenciou algumas unidades públicas de saúde para atender seus membros e investiu neles, no Brasil a Fifa será atendida pela rede particular.

                      Jiri Dvorak, diretor médico da Fifa
Caso um jogador, cartola, repórter estrangeiro ou membro da entidade sofra algum problema de saúde, será levado para um desses hospitais credenciados. Todos, salvo no caso de Porto Alegre, são clínicas privadas.

"Essa é uma definição da Fifa escolher em qual rede quer ter seu atendimento. O governo brasileiro tem se preparado para melhorar toda sua rede, estamos no processo de preparação na rede pública. Estamos investindo pesadamente", comentou Derborah Malta, diretora de promoção da saúde do Ministério da Saúde.

Com o cuidado de medir as palavras, o diretor médico da Fifa, Jiri Dvorak, procurou não fazer críticas diretas ao sistema de saúde público brasileiro e dizer que a decisão tomada levou em conta a orientação das autoridades locais.

"Quando escolhemos os hospitais nós o fazemos junto com o COL (Comitê Organizador Local). É uma avaliação complexa. Não estamos impondo que seja hospitais privados. Temos um grupo independente que avalia (os hospitais)".

Diante de perguntas sobre os protestos que pedem por melhores hospitais públicos, Deborah disse que o governo Dilma tem como prioridade aumentar o orçamento da saúde.

"Atualmente 9% do PIB são investidos na saúde, mas achamos sempre que podemos investir mais. É uma demanda legítima de melhorias na saúde. Estamos trabalhando para melhorar a gestão e o investimento na saúde pública. Somos um país em desenvolvimento e ainda temos muito a construir", ponderou a diretora.

(Fonte: Estadão)

sábado, 22 de junho de 2013

Governo cria Bolsa-Copa com diária de até R$ 581 para ministros e servidores federais

Decreto assinado por Dilma estende benefício a comandantes e oficiais das Forças Armadas


Os ministros de Estado, servidores federais e os comandantes e oficiais das Forças Armadas ganharam, na última sexta-feira (14), o Bolsa-Copa para assistir às partidas da Copa das Confederações. Um dia antes do início da competição no Brasil, o Palácio do Planalto publicou o decreto 8.028/13, em edição extra do Diário Oficial da União, que dobra o valor das diárias desses servidores públicos.

O texto é assinado pela presidente da República, Dilma Rousseff.  
Cada um poderá receber até R$ 581 para arcar com gastos com hotel, alimentação e traslados. Esse valor é o teto e é oferecido aos ministros de Estado, no caso de deslocamentos para Brasília, Manaus e Rio de Janeiro. O piso é de R$ 147, para Praças das Forças Armadas, no caso de idas aos "demais deslocamentos". O benefício vale entre os dias 14 deste mês a 2 de julho de acordo com a disposição dos jogos da competição.  
No caso das viagens para Belo Horizonte, Fortaleza, Porto Alegre, Recife, Salvador e São Paulo, o valor chega a R$ 551,95. Caso os ministros queiram viajar para outras capitais dos Estados, a diária chega a R$ 520. Para demais viagens, o teto é de R$ 458,99.  
Já para os comandantes da Aeronáutica, Marinha e Exército, o valor máximo da diária chega R$ 406,70 — para Brasília, Manaus e Rio de Janeiro. No caso de viagens para Belo Horizonte, Fortaleza, Porto Alegre, Salvador, São Paulo e Recife, o teto é de R$ 386,87.  
Os deslocamentos para outras capitais do País vão render aos comandantes das Forças Armadas R$ 364 e, para as demais viagens, o valor é de R$ 321,29.  
O decreto dispõe ainda que o benefício “não se aplica aos deslocamentos em que a administração pública disponibiliza hospedagem ou nos quais não haja pernoite”.  
O dinheiro para o pagamento do benefício virá do “orçamento vigente dos órgãos e entidades, observadas as limitações de movimentação, empenho e pagamento”, diz o decreto.
(Fonte: R7)

    quarta-feira, 12 de junho de 2013

    Estação de metrô no Recife tem problemas de acesso e sinalização

    Estação Afogados será muito utilizada durante a Copa das Confederações.

    O único acesso se dá através de uma rampa e não há placas em inglês.


    video

    A Estação Afogados do metrô, na Zona Sul do Recife, assim como a Estação Joana Bezerra, é uma das mais movimentadas da cidade e será usada por muitos torcedores durante a Copa das Confederações, que começa neste final de semana. A reportagem do NETV 2ª edição foi até o local conferir se a estrutura do local é adequada ao padrão exigido em eventos deste porte.

    Logo na entrada da estação, ambulantes expõem seus produtos. Por dia, circulam de 15 a 20 mil pessoas pela área. Não há nenhuma placa em inglês. Informações sobre como usar o metrô ou como se comportar em situações de emergência, só para turistas que souberem ler em português. Para os estrangeiros, resta tentar se orientar pelos desenhos ou pelo mapa das estações. Só que o mapa não está atualizado e a estação Cosme e Damião, por exemplo, que levará torcedores direto para a Arena Pernambuco, em São Lourenço da Mata, não está sinalizada.

    A falta de estrutura não prejudica somente os turistas, mas principalmente os passageiros diários que utilizam o transporte. Pessoas com dificuldade de locomoção têm problemas para passar pela estação, que não possui escada rolante, nem elevador. "É muito difícil, eu tenho uma deficiência e ainda consigo me virar. Eu imagino [a dificuldade de] um cadeirante, de um deficiente visual", lamentou o aposentado Francisco de Assis.

    O prédio da estação não oferece conforto e não existe banheiro para o público. No caminho até a área de embarque, não pode chover que as poças aparecem por causa das infiltrações. Não há bancos suficientes pra quem espera. As pessoas sentam na mureta do corredor, perto de um local que virou depósito de lixo. "Nem para o dia a dia está pronto, como é que vai estar pra Copa das Confederações", falou o técnico em refrigeração Carlos André Barbosa.

    A assessoria de imprensa do Metrorec informou que, até o final do ano, serão colocados mais dois trens na Linha Centro e outros três na Linha Sul. Sobre a sinalização em inglês, o órgão disse que irá instalar ainda nesta semana. Por outro lado, a Emlurb informou que agentes de limpeza varrem e recolhem o lixo na estação diariamente. Já a secretaria de Mobilidade afirmou que irá fazer uma operação de reordenamento do comércio informal nas proximidades do local.
    (Fonte: G1)

    domingo, 9 de junho de 2013

    GDF construirá banheiro público de 30 m² por mais de R$ 140 mil

    Custo equivale ao dobro do valor de um apartamento pelo Morar Bem.
    Ordem de serviço para execução da obra foi publicada no Diário Oficial.


    O governo do Distrito Federal vai construir um banheiro público de 30 metros quadrados perto da Feira dos Importados ao custo de R$ 146.387,91 – o dobro do valor de compra de um apartamento de dois quartos pelo programa Morar Bem no Riacho Fundo II. A ordem de serviço para execução da obra foi publicada no Diário Oficial do DF desta terça-feira (4).

    O banheiro masculino vai ter dois boxes com vaso sanitário, três mictórios e três pias com bancada de granito. O feminino, quatro boxes com vaso, três pias e uma bancada para fraldário. O de deficiente terá vaso e pia.

    “Estamos construindo um banheiro com material de primeira qualidade, porque eu não posso construir um banheiro para daqui a pouco ter uma reforma em cima dele”, falou o administrador do Setor de Indústria e Abastecimento (SIA), José Tenório.

    Apesar se ser público, a Administração do SIA informou que quem vai cuidar da manutenção do novo banheiro é a Feira dos Importados. Atualmente já existe uma situação parecida no local. O único banheiro fica dentro da feira. À noite, os portões se fecham e a população fica sem acesso.
    (Fonte: G1)