Pesquise aqui o assunto que você procura:

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Mistura do álcool na gasolina passará para 25% em 1º de maio


Um dia após o anúncio de reajuste de 6,6% na gasolina nas refinarias anunciado pela Petrobras, o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, afirmou nesta quarta-feira que a mistura do álcool anidro neste combustível passará de 20% para 25% a partir de 1º maio.

A medida é uma forma de reduzir o impacto no preço final do combustível ao consumidor. Segundo o ministro, os produtores de etanol garantem que vão dar conta de ofertar o excedente de álcool. A previsão inicial era que essa elevação do percentual de álcool na gasolina fosse feita em junho por causa da safra de cana de açúcar.

"O setor nos garantiu de mãos juntas que dará conta. Se não desse, manteríamos a elevação para junho", disse Lobão. Segundo ele, a oferta de etanol deverá subir de 22 bilhões de litros para uma faixa entre 26 e 27 bilhões de litros.

Ontem, a Petrobras anunciou reajuste dos preços da gasolina A nas refinarias (6,6%) e do diesel (5,4%). O Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de São Paulo (Sincopetro-SP) estima que o preço da gasolina deve subir 4,67% nas bombas e o do diesel 4,34%. A expectativa é que a alta dos combustíveis para o consumidor seja de 4%, em média.

Mais cedo, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou que a alta da gasolina tem condições de ser absorvida pelos consumidores. Para o titular da pasta, a queda na tarifa de energia, nos juros e outras desonerações previstas para o consumidor ao longo de 2013 vão "compensar" o aumento no valor do combustível que, segundo o ministro, deve gerar um impacto de 0,16 ponto percentual na inflação deste ano.

O aumento no preço do combustível impacta diretamente a inflação, já que os preços são repassados a todos os consumidores, incluindo quem utiliza o transporte público, já que os ônibus são movidos a óleo diesel.

Fiscalização
Lobão garantiu também que o governo fiscalizará abusos cometidos por postos de combustíveis que possam ter elevado os preços da gasolina ao nível acima do percentual repassado pelas refinarias. "O governo concedeu um aumento de 6,6% (para a gasolina) e vai fiscalizar, por meio da Agência Nacional do Petróleo (ANP)", declarou.

Indagado sobre a liberdade de mercado para estipular preços, Lobão foi categórico: "O mercado é livre, mas não deve exceder o limite do razoável."
(Fonte: Terra)

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Salário de ACM teve maior reajuste entre os prefeitos

O democrata já recebeu seu primeiro salário no valor de R$ 18.038,10, montante 73,4% superior aos rendimentos de João Henrique (PP), cuja remuneração mensal era de R$ 10.400; no entanto, apesar do reajuste, o prefeito mais bem pago do Brasil é Gustavo Fruet, de Curitiba, que recebe R$ 26.723,13 por mês

  
Muita gente reclama, mas tem se tornado comum o aumento salarial de vereadores e prefeitos em final de mandato para vigência no próximo.

Ao todo, parlamentares e alcaides de 12 das 26 capitais (Brasília não conta porque não tem prefeito nem vereador) começaram 2013 com salários maiores e o percentual mais alto de reajuste foi o de ACM Neto (DEM), de Salvador.

O democrata recebeu seu primeiro salário no valor de R$ 18.038,10, valor 73,4% superior aos rendimentos de João Henrique (PP), cuja remuneração mensal era de R$ 10.400.

A aprovação do aumento foi feita pela Câmara Municipal no intervalo entre o primeiro e o segundo turno das eleições de outubro passado. Projeto foi aprovado por unanimidade e o reajuste é válido além do prefeito e dos próprios vereadores, para os secretários municipais.

Assessoria de imprensa de ACM Neto disse á imprensa que a responsabilidade pelo aumento é da legislação passada.

Apesar de o democrata ter o maior reajuste, o prefeito mais bem pago do Brasil é o de Curitiba, Gustavo Fruet, que recebe R$ 26.723,13 por mês.

Depois de ACM Neto, estão entre os maiores aumentos, em ordem, Florianópolis (52,3%), Natal (42,8%), Aracaju (40,3%), Campo Grande (36%), Teresina (27,9%), Porto Velho (27,1%), Vitória (24,6%), Belo Horizonte (22,8%), João Pessoa (22,2%), Macapá (13,2%) e Belém (12,7%).
(Fonte: Brasil 247)

domingo, 27 de janeiro de 2013

Brasil em LUTO

Foi na madrugada deste domingo (27), uma tragédia deixou em torno de 232 jovens mortos e 116 feridos... Comovendo uma nação inteira. Venho por meio deste informar aos meus leitores as mais recentes notícias e deixar minhas condolências aos familiares das vítimas...



quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

País do faz de conta

 Ricardo Irigoyen


Será bom viver no mundo “faz de conta”? Sabemos que existe uma realidade, mas fazemos de conta que não é com a gente, nos refugiamos no nosso mundo “faz de conta” e tudo bem. Durante minhas férias não deixei de ler o jornal, é um vício que não consigo evitar. Apesar dos jornais também terem seu próprio mundo “faz de conta”, pelo menos há notícias que devem publicar.

Quando leio que os médicos plantonistas faltam, pergunto-me: Qual é a novidade? Desde sempre isso acontece e está acontecendo neste momento. Vivemos no mundo do faz de conta que temos um sistema de saúde. Ao ver uma manchete (uma de tantas) sobre assassinato e as declarações dos secretários de segurança que os assassinos serão capturados e punidos percebo nosso mundo “faz de conta”. Quando o secretário de segurança não consegue mais manter essa estória da segurança “faz de conta”, a solução é rápida, troca-se o secretário de segurança. Desta forma o que é importante se mantém. O mundo “faz de conta” continua.

Também li que alguns dos condenados pelo mensalão afirmam sua inocência e continuam ocupando e assumindo cargos no mundo “faz de conta”. E o que é mais incrível são os jantares de coleta de dinheiro para que os condenados possam pagar as multas que a justiça lhes impôs.

Os prefeitos e vereadores eleitos aumentam seus salários nas prefeituras “faz de conta” que há dinheiro, mas os habitantes ficam sem educação, sem saúde, sem esgoto, sem coleta de lixo, sem transportes decentes e/ou proteção de encostas ou pontes que foram destruídos.

No mundo de “faz de conta” o governo federal manda dinheiro todos os anos para resolver os problemas causados pelas inundações e enxurradas no Rio de Janeiro. No mundo real nada muda porque se resolvemos esses problemas em 2014 não teremos a ajuda de Brasília. No mundo real algumas pessoas morrem, casas são destruídas, milhares ficam desabrigados. No mundo “faz de conta” mais trabalho para as empreiteiras, mais minutos na televisão mostrando a preocupação dos políticos em resolver os problemas.

Entendo a necessidade do “faz de conta”, porque imaginem o que aconteceria se resolvêssemos os problemas de uma vez, que seria das pessoas que se preocupam com nosso bem-estar, nossa educação, nossa saúde. Quem tomaria conta de nós no mundo real? Nós mesmos. É o que a gente faz todos os dias. A menos, lógico, que também vivamos no mundo do “faz de conta”, nesse caso necessitaremos sempre de alguém que tome conta de nós.

E você meu amigo leitor vive no mundo real ou no “faz de conta”?

Suas férias foram boas? As minhas foram ótimas. Feliz 2013.

Boa semana.


sábado, 19 de janeiro de 2013

'É preciso criar cotas para nós', diz preso de PE aprovado no Sisu

Henryton Ribeiro, 24, conquistou sétimo lugar em matemática na UFRPE.
Condenado por assaltar agência dos Correios, ele diz merecer 2ª chance.


Henry conta os dias para sair da prisão e começar
as aulas na UFRPE (Foto: Luna Markman/G1)
Henryton Klysthenes Ribeiro estava animado com o aniversário de 24 anos. Planejava fazer uma rave para 'parar' a pequena cidade de Timbaúba, na Mata Norte de Pernambuco, distante cerca de 100 km do Recife. Ribeiro dava aulas particulares de matemática e inglês, vivia bem com os pais e a irmã mais velha e tinha vários amigos, mas também uma fraqueza: queria ganhar dinheiro fácil. Com dois colegas, resolveu assaltar a agência dos Correios de Aliança, município vizinho, apenas quatro dias antes da festa. Sabia que o sistema de segurança do local era frágil e acreditava na impunidade. No dia 6 de junho de 2012, o trio aproveitou a saída de almoço dos vigilantes e, fingindo estarem armados, roubaram dinheiro da agência, que estava em funcionamento e atendia alguns clientes no momento do crime. Os comparsas conseguiram fugir, mas ele acabou sendo preso em flagrante e a tão esperada data passou em branco, na prisão.

Foi no Presídio de Igarassu (PIG), na Região Metropolitana do Recife, onde cumpre pena, que o jovem, envergonhado e arrependido do crime, parou para pensar na vida que queria levar dali em diante. Inscreveu-se no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), formou um grupo de estudos com outros 16 reeducandos, todos já com o ensino médio completo, e fez a prova. O resultado no Sistema de Seleção Unificado (Sisu), que saiu na última segunda-feira (14), foi uma surpresa ainda maior: ele conseguiu a sétima posição no curso escolhido, a licenciatura em matemática, na Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), com nota 706,29. Foi a melhor colocação de um reeducando em toda a história do sistema prisional do estado.

"É muito melhor ser reconhecido como alguém que venceu, pelo estudo, que como alguém que roubou, até porque eu não me considero um bandido, mas alguém que errou, aprendeu com isso e merece uma segunda chance. Pensei no dinheiro fácil, queria aventura, mas passei do limite e achei que tinha destruído a minha vida. Agora, ao invés de contar os dias para sair da prisão, vou contar os dias para começar as aulas. Vou embarcar em uma aventura bem melhor, e nessa quero ter sucesso", diz Henry, como é chamado pelos amigos do PIG.

À espera da liberdade
Henry é um preso provisório. Ele foi julgado pela 25° Vara da Justiça Federal e condenado a cinco anos de detenção. Ele está agora em regime fechado, em um presídio de segurança máxima. A sentença dele ainda vai passar pela Vara de Execuções Penais, que deve encaminhá-lo para o regime semiaberto. O advogado dele entrou com pedido para desclassificar o crime para furto. A expectativa é que em abril, quando começam as aulas na UFRPE, Henry já possa cumprir a pena em regime aberto, tendo que assinar, todo mês, o livro de presença no Centro de Apoio a Egressos em Liberdade (Cael).

Leia Mais em: Globo/G1

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Demitido há um ano, ministro mantém renda ligada ao cargo

Lupi mantém renda ligada ao cargo do qual foi demitido


Exonerado pela presidente Dilma Rousseff no fim de 2011 após denúncias de irregularidades, o ex-ministro do Trabalho Carlos Lupi permanece como conselheiro do BNDES na vaga destinada ao representante do ministério.

No cargo, ele recebe cerca de R$ 6.000 por mês, pagos trimestralmente. A nomeação foi feita pela própria presidente, quando ele ainda era ministro do Trabalho.

A assessoria do atual ministro, Brizola Neto, informou ontem que pediu à Presidência em junho de 2012 a substituição de Lupi. A Presidência ainda não se manifestou sobre o pedido.

"Olha, eu não sei [explicar a permanência no cargo]. Você tem que perguntar à direção que me manteve lá até agora. Como eu era indicado pela Presidência da República, enquanto não me tirar, eu estou lá", disse. "Se for da confiança dela [Dilma Rousseff], permaneço", disse à Folha o ex-ministro.

Lupi é presidente nacional do PDT, partido da base aliada ao governo. Como conselheiro do BNDES, tem participação na aprovação do orçamento do banco e acompanha a sua execução.

A estimativa é que o BNDES tenha movimentado R$ 150 bilhões em 2012.

A saída do ex-ministro do governo ocorreu após a Comissão de Ética Pública da Presidência da República recomendar sua exoneração. A comissão apurou suposto desvio ético de Lupi e também o advertiu sobre o caso.

ACÚMULO DE CARGOS

Reportagem da Folha à época mostrou que, antes de assumir o Ministério do Trabalho, em 2007, ele acumulou dois empregos públicos por quase cinco anos: o de assessor da liderança do PDT na Câmara dos Deputados, em Brasília, e o de assessor de um vereador do PDT na Câmara Municipal.

A investigação do caso cabe à Procuradoria da República do Distrito Federal.

Dois meses após deixar o Ministério do Trabalho, ele foi nomeado assessor especial pelo prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), mas foi exonerado no dia seguinte à nomeação.

O Conselho de Administração do BNDES é presidido pelo ministro Fernando Pimentel (Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior), que também já foi alvo de investigação da Comissão de Ética por sua atuação como consultor em 2009 e 2010, antes do governo Dilma.

Tem ainda entre seus integrantes o presidente do BNDES, Luciano Coutinho; a ministra do Planejamento, Miriam Belchior; o presidente da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial, Mauro Borges Lemos; e o secretário de política econômica do Ministério da Fazenda, o economista Márcio Holland de Brito.

OUTRO LADO

O ex-ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, diz não saber por que a Presidência ainda não o tirou do cargo de conselheiro do BNDES.

"Todos os membros são nomeados pela presidente, por indicação do ministro do Desenvolvimento. Não sei por que não [me] tiraram."

A Presidência informou que o BNDES se manifestaria. Em nota, o banco disse que Lupi permanece só "de maneira formal como membro do Conselho de Administração do BNDES, enquanto aguarda "seu substituto".

O BNDES informou que Lupi não participa das reuniões do conselho nem recebe remuneração. O banco não informou o valor. O ex-ministro, porém, afirmou que participa das reuniões e que recebe por sua atuação.

"A última reunião ocorreu no ano passado, acho que em setembro. Faço aquilo que me está delegado. Experiência não me falta", disse.
 (Fonte: Folha.uol.com)

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Tribunal de Justiça de SP gasta R$ 13,36 milhões em 323 carros e os deixa parados há três meses

Frota ‘a serviço do Poder Judiciário’ está ao relento; segundo Tribunal de Justiça, falta de documentação dos veículos impede utilização


Mais de 300 veículos modelo Doblò, “a serviço do Poder Judiciário”, estão parados há três meses no amplo estacionamento do Complexo Judiciário Ministro Mário Guimarães, na Barra Funda, em São Paulo, à espera de uma destinação. Os veículos deveriam estar sendo usados para transportar processos, funcionários, jurados e assistentes sociais que apoiam Varas de Infância e Família em São Paulo.
Frota de carros comprados pelo Tribunal de Justiça
estacionados em pátio do Fórum Criminal

Juízes do fórum disseram que a maior parte da frota foi estacionada ali em fins de outubro e, desde então, não teve nenhum uso.

O Tribunal de Justiça do Estado, responsável pela compra, informou que a renovação da frota faz parte da “eficiência de gestão” implementada em todos os setores da corte implementada pelo presidente Ivan Sartori, há um ano no comando do TJ.

Ao todo, são 323 Fiat Doblò parados, com preço unitário de R$ 41.385, - foram R$ 13,36 milhões por todo o comboio. Segundo o tribunal, a aquisição foi realizada pelo critério do “menor preço”.

O fórum criminal da Barra Funda é o maior do País. Aloja 31 varas criminais, cinco tribunais do júri, cinco varas de execuções penais, Departamento de Inquéritos Policiais e Polícia Judiciária e Juizado Especial Criminal. Ali tramita um acervo monumental de cerca de 270 mil ações.

Desperdício. Servidores e magistrados consideram que veículos oficiais parados podem caracterizar desperdício de recursos públicos se não tiverem uso imediato ou no mais curto espaço de tempo após sua compra. Os carros estão estacionados lado a lado sem proteção, castigados pela chuva e pelo sol.

A Resolução 83 do Conselho Nacional de Justiça, baixada em junho de 2009, disciplina a aquisição, locação e uso da frota oficial pelo Judiciário em todo o País. O artigo 13 impõe expressamente que “ao término da circulação diária, inclusive nos fins de semana, os veículos oficiais serão recolhidos à garagem do órgão onde possam estar protegidos de danos, furtos e roubos”.

O Tribunal de Justiça do Estado destaca que os carros foram comprados para “substituição da frota obsoleta”. Segundo o TJ, receberão os novos veículos as unidades judiciárias cuja frota é do período de 1998 a 2003 - os veículos são Kombis, Pálio, Corsa, Gol e Santana.

Os Fiat Doblò “estão estacionados no local em que o Tribunal de Justiça de São Paulo considerou adequado para o abrigo enquanto a documentação de cada veículo, necessária à circulação, não se completa”, segundo o tribunal. “Note-se que a documentação não se refere a um veículo e sim a 323.”Ainda de acordo com a assessoria da Presidência do TJ, a Fiat entregou os primeiros 289 carros “no final do ano passado”.

Remessas. O início da entrega ocorreu em 15 de outubro e o término em 26 de novembro. A última remessa, “o restante”, começou no dia 8 de janeiro último e terminou no dia 10.

A corte assinala que entre 20 de dezembro e 6 de janeiro houve o recesso forense. “Em prazo máximo de 40 dias estarão em seus destinos, as unidades judiciárias entregarão os antigos e retirarão os novos”, informou a Assessoria de Imprensa do TJ. “O Tribunal de Justiça adquiriu esses veículos para renovar a frota de comarcas do interior e da capital”, observa Rosangela Sanches, diretora de Comunicação Social do TJ-SP. “Serão utilizados, e muito.”

Apoio. Segundo o Tribunal de Justiça, os carros servem para, entre outras finalidades, transporte de processos, apoio às varas de infância e família, transporte de assistentes sociais para atendimento, apoio às varas do júri, transporte de jurados.
“A renovação da frota de veículos a serviço do Poder Judiciário está inserida na modernização que o presidente Ivan Sartori tem realizado desde que assumiu a presidência no início do ano passado, faz parte da “eficiência de gestão” implementada em todos os setores do tribunal para a melhoria dos serviços forenses e atendimento aos jurisdicionados”, diz o tribunal.

(Fonte: Estadão)

sábado, 12 de janeiro de 2013

Câmara gasta R$ 280 milhões para reformar apartamentos funcionais

Imóveis de 200 m² destinados aos parlamentares começaram a ser restaurados em 2007, mas ainda há obras em andamento e um novo edital será lançado


BRASÍLIA - A reforma dos 432 apartamentos funcionais destinados aos deputados federais vai custar pelo menos R$ 280 milhões aos cofres públicos, segundo estimativas da Câmara - o que equivale a R$ 650 mil para cada imóvel. Até agora, a Casa gastou cerca de R$ 108 milhões com os nove prédios que já passaram ou ainda estão sendo reformados.
 
Wilson Pedrosa/Estadão - Banheira equipa todos os 
apartamentos funcionais reformados em Brasília
Veja também:
link Deputados terão tablets fixados em suas mesa

Na recauchutagem dos outros nove edifícios devem ser gastos mais R$ 172 milhões - valor que pode subir, porque será feito um novo edital de licitação. Só em banheira de hidromassagem os gastos devem atingir R$ 1,5 milhão. Cerca de 90 deputados estão na lista de espera por um apartamento.

Os primeiros contratos de licitação para as reformas foram firmados em 2007. De lá para cá, seis prédios - com 24 apartamentos cada um - foram entregues depois de atrasos que, somados, extrapolaram em mais de três anos a data prevista para conclusão das obras. Entre os motivos da demora estão problemas com construtoras.

A empreiteira Palma abandonou as obras no meio da execução, sendo necessário fazer uma nova licitação. A Engefort foi à falência e deixou um prédio quase pronto. Agora, a Câmara vai assumir os custos finais e pretende colocar o prédio à disposição já no carnaval ou na Semana Santa. As obras em outros três edifícios estão em fases menos adiantadas, mas estima-se que estejam prontos até agosto.

‘Desperdício’. O deputado Julio Delgado (PSB-MG), há dois anos na 4.ª Secretaria da Mesa Diretora, é responsável, entre outros afazeres, por providenciar o apartamento funcional ou verba de auxílio-moradia para todos os colegas da Câmara, atender aos pedidos de reparos e acompanhar o andamento das obras. Ele comemora as reformas.

Delgado defende ainda que agora os imóveis, que pertencem todos à União, estão mais valorizados. O cálculo é que valem hoje, em média, R$ 2,35 milhões cada um.

“Quando eu assumi essa função, fiz um levantamento e vi que apenas quase 200 deputados ocupavam os apartamentos funcionais e mais de 300 requisitavam o auxílio-moradia de R$ 3 mil. Isso significa que éramos obrigados a manter vigilância, limpeza e reparos em prédios em que moravam meia dúzia de pessoas. Era um desperdício.” E continua: “Com a revitalização dos prédios, tornamos os funcionais mais atrativos e invertemos esse número: hoje, menos de 200 recebem o auxílio-moradia. E com lista de espera”, afirma.

“Sei que essa história da banheira de hidromassagem vai pegar mal, mas já estava prevista nos editais de licitação muito antes de eu assumir a Secretaria, então eu não tenho nada a ver com isso”, justifica Delgado.

Condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no processo do mensalão, o deputado Valdemar Costa Neto (PR-SP) já mora em um funcional novo em folha. Os deputados João Paulo Cunha (PT-SP) e Pedro Henry (PP-MT), também condenados pelo mensalão, moram em apartamentos antigos. José Genoino (PT-SP), que era suplente e assumiu a cadeira após o julgamento, já pediu seu auxílio-moradia.

Todas as habitações, de 200 metros quadrados, seguem o mesmo padrão: uma espaçosa sala de estar, que pode ser dividida em até três ambientes; piso de cerâmica; quatro quartos, sendo dois com suíte; cinco banheiros adornados com granito; cozinha planejada com dois ambientes.

Diferentemente dos antigos apartamentos que possuem banheiras simples de cerâmica, as novas moradias foram incrementadas com banheiras de hidromassagem. Algumas delas podem ser controladas por uma tela digital, em que a temperatura da água pode ser regulada, por exemplo. De acordo com o edital de licitação da construtora PW, responsável pela restauração de três blocos, cada um desses utensílios custou R$ 3.395.

Alguns parlamentares não gostaram do luxo e pediram autorização para retirar a banheira, com lugar para só uma pessoa.

Ar condicionado. Deputados tentaram, no ano passado, pleitear com a 4.ª Secretaria a inclusão de ar condicionado nas novas moradas. Mas como o benefício não estava previsto no projeto feito em 2007, a Câmara oferece apenas o “acesso ao ar condicionado”, ou seja, o buraco na parede.

“Quem quiser vai ter que tirar do próprio bolso”, disse Delgado.

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Prostitutas de BH têm aulas grátis de inglês para se preparar para a Copa

A ideia é ensinar o básico. "Fruits" (frutas), por exemplo. Mas o "vocabulário técnico", como "condom" (preservativo), também estará presente em aulas de inglês que prostitutas de Belo Horizonte terão para receber os turistas na Copa de 2014.

"Elas vão aprender frutas, verduras, legumes. Mas algumas palavras a gente pode trabalhar mais, no sexo, no fetiche", diz Cida Vieira, 46, presidente da Associação de Prostitutas de Minas Gerais.

Cerca de 20 garotas de programa já se inscreveram para participar do curso gratuito, organizado pela instituição. A expectativa de Cida é que até 300 das 4.000 associadas frequentem as aulas até o final do ano.


As classes de idiomas já têm local para acontecer: uma sala cedida pela Associação dos Amigos da Rua Guaicurus (zona de prostituição de Belo Horizonte).

VOLUNTÁRIOS

O grupo busca professores voluntários. A vice-presidente Laura do Espírito Santo, 54 (mas "colocando muita menina de 20 no chinelo"), diz que a associação já conta com psicólogos e médicos voluntários, o que a faz acreditar que não haverá dificuldade.
Se for preciso, porém, serão contratados profissionais.
A ideia é que o curso dure entre seis e oito meses e que as primeiras turmas tenham início até março. A associação planeja ainda aulas de francês e italiano.

QUALQUER PROFISSÃO

Para Pollyana Temponi, 27, "profissional do sexo há três", o inglês vai servir para negociar preço e combinar como vai ser o programa com o cliente.

"Hoje em dia em qualquer profissão você tem que saber inglês", diz.

Outras sonham mais alto: "Vou fazer o curso porque a única coisa que sei falar hoje é 'I love you'. É inglês, né? Te amo? Isso fica difícil falar. Mas talvez, quem sabe? Posso me apaixonar", diz a prostituta C., 54, que não quis ter seu nome divulgado.

(Fonte: Uol/Notícias)

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Passagens de ônibus no Grande Recife terão aumento de 5,53%


As passagens de ônibus no Grande Recife terão reajuste de 5,53% a partir do próximo domingo. O percentual foi definido na manhã desta sexta-feira (4), durante reunião do Conselho Superior de Transporte Metropolitano (CSTM) na sede do Grande Recife Consórcio de Transporte, na área central do Recife. Com o reajuste definido, a tarifa A, que é a mais barata nos ônibus da RMR, passará dos atuais R$ 2,15 para R$ 2,25.




quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Passagem de ônibus terá reajuste esta sexta-feira no Recife

Percentual será definido na reunião do Conselho Superior de Transporte Metropolitano. Empresas pedem majoração de 13% e o Estado quer seguir o IPCA, de 5,7%


O Conselho Superior de Transporte Metropolitano (CSTM) reúne-se esta sexta (4) para definir o reajuste da passagem de ônibus na Região Metropolitana do Recife (RMR). A reunião foi convocada pelo Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de Pernambuco (Urbana/PE), que pediu 13% de aumento nas tarifas.

No entanto, o Grande Recife Consórcio de Transporte adiantou que vai apresentar uma contraposta de reajuste de 5,75%, índice correspondente ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumulado até a segunda quinzena de dezembro de 2012. O reajuste com base no IPCA vem sendo aplicado pelo governo desde 2007. A reunião será às 8h, na sede do Grande Recife, no Cais de Santa Rita. A imprensa não poderá acompanhar.

Caso o reajuste proposto pelo Urbana seja aprovado, a tarifa do Anel A, aplicado na maioria das linhas que circulam pela RMR, sairá dos atuais R$ 2,15 para R$ 2,43. Com o reajuste proposto pelo governo, a passagem ficaria em R$ 2,27 (veja quadro acima). Os valores devem ser arredondados para facilitar o troco.

De acordo com a assessoria de imprensa do sindicato, o reajuste com percentual de 13% é necessário por causa de gastos referentes a combustível, manutenção dos veículos, compras de pneus e pagamento da folha dos funcionários das empresas.

O último reajuste das passagens de ônibus ocorreu em janeiro do ano passado, quando foi aplicado um aumento de 6,5% nas tarifas. Na época, os empresários haviam defendido um acréscimo de 17,2%.

O CSTM é composto por membros do governo do Estado, prefeituras e câmaras de vereadores da Região Metropolitana, empresários do sistema de transporte, representantes de usuários e de classes estudantis.